AdSense

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

News: Aliança assume distribuição do selo RG Gospel

Lançamento Vanilda Bordieri
 
Aliança assume distribuição do selo RG Gospel
Com a iniciativa, os cantores gospel que se destacam no programa Raul Gil agora terão seus CDs disponíveis nos melhores pontos de venda do país.
 
A Aliança e a gravadora RG Gospel acabam de firmar uma parceria para a distribuição de seu catálogo. O contrato foi assinado recentemente pelos diretores Ricardo Carreras e Raul Gil Júnior (Raulzinho).
A RG Gospel nasce da vivência artística de Raulzinho, que é diretor do programa Raul Gil e um dos principais incentivadores deste gênero musical em todo o país. Inicialmente, o cast conta com as revelações Daniel Casimiro e Thiara, que ganharam destaque em suas apresentações na TV. A partir da parceria com a Aliança, os planos da gravadora são ampliar o quadro de cantores e promover o lançamento de novos produtos.
Presente há mais de 20 anos no mercado, a marca Aliança é responsável pela distribuição física de música e literatura cristã das principais gravadoras e editoras do setor, incluindo o catálogo exclusivo do selo Musile Records. Com uma estrutura capaz de abastecer pontos de venda em todas as regiões do território nacional e também no exterior, a empresa supera 1 milhão de peças vendidas anualmente, entre CDs, DVDs, Blu-rays, Livros e Bíblias.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

NOVAS DA MÚSICA CRISTÃ

Posted: 21 Oct 2014 02:57 PM PDT

Primeiro label a firmar parceria de distribuição com a Sony Music, a AB Records segue trabalhando ativamente na criação e desenvolvimento de novos projetos. Depois do CD e DVD "Aline Barros 20 Anos", projeto desenvolvido em parceria com a Sony Music, a AB Records firmou acordo para o lançamento de mais um projeto inédito de Aline Barros, desta vez, não somente voltado ao mercado nacional mas principalmente ao exterior.

Na tarde desta segunda-feira (20), o diretor da AB Records, Pr. Ronaldo Barros, assinou acordo para que a Sony Music possa lançar para o Brasil e exterior os projetos em Espanhol e Inglês de Aline Barros. O disco, produzido por Tom Brooks conta com 10 faixas, sendo 9 músicas internacionais de sucesso e mais uma canção nacional. O CD conta com participação especial de Israel Houghton e será lançado pela Sony Music em parceria com as outras filiais da gravadora no exterior.

"A Aline Barros teve no passado uma carreira internacional muito intensa, principalmente no mercado latino. Ultimamente ela não conseguiu se dedicar a este projeto em função da maternidade e de outras prioridades, mas neste momento ela pretende seguir em turnê pelos países e se dedicar bastante à carreira internacional. A Sony Music já vem desenvolvendo um trabalho maravilhoso em parceria com a AB Records no Brasil e agora vamos contar com o suporte das outras filiais da gravadora na região. É um projeto de longo prazo, mas acreditamos muito! A nossa expectativa é de que já em 2015 tenhamos muito a realizar internacionalmente!" - comentou Ronaldo Barros.

Fonte: Assessoria de Imprensa Sony Music Gospel
Posted: 21 Oct 2014 02:52 PM PDT

A grande notícia da semana é a chegada da versão em CD do projeto "principio" com o cantor Leonardo Gonçalves no estoque da Sony Music. A previsão é de que as lojas recebam este lançamento a partir do dia 27 de outubro. Outra notícia aguardada pelo público e por todo o mercado é a data de lançamento da versão em DVD do mesmo projeto. A expectativa é de que o DVD chegue às lojas na primeira semana de novembro.

Hoje às 19h a Sony Music lançará mais um vídeo deste projeto após o enorme sucesso da canção "Sublime" que superou mais de 1 milhão de views em menos de 2 meses na web. A próxima canção em vídeo será "Getsêmani", um dos grandes sucessos da carreira do cantor. A expectativa para este vídeo é de que a repercussão junto ao público seja semelhante ao da canção "Sublime". Após a estreia do vídeo, o Leonardo estará participando de uma ação promocional junto ao Twitter e oficialmente lançando a pré-venda do álbum no iTunes. Nesta pré-venda, os fãs receberão uma faixa bônus exclusiva!

No dia 06 de novembro, o cantor estará fazendo sua primeira tarde de autógrafos pelo lançamento de "principio". O evento acontecerá na Rua Conde de Sarzedas-SP a partir das 15h. Como parte da agenda de promoção e divulgação o cantor estará em Maringá/PR (25/10), Curitiba/PR (04/11), Salvador/BA (08/11), Londrina/PR (11/11), Rio de Janeiro/RJ (13 e 14/11) e em Belo Horizonte (17 a 19/11). Outras cidades como São Paulo, Porto Alegre, Goiânia e Brasília também receberão o artista nas próximas semanas.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

UMA ESPERANÇA NO DESERTO

UMA ESPERANÇA NO DESERTO

25/09/2014
Esperança – Ao vivo, novo CD de Jozyanne, é um disco que nasceu entre muitas lágrimas, por vezes alegres e também dolorosas, fruto de um período extremamente delicado vivido pela cantora quando foi diagnosticada com Lúpus, uma doença autoagressiva. Esta obra foi criada para aqueles que, assim como ela, mantiveram sua fé, mesmo em meio às tribulações e adversidades, e jamais perderam a esperança. “Não é um CD triste, muito pelo contrário, é de quebrantamento na presença de Deus e de celebração. Nesse tempo de deserto que eu passei, o Senhor me ensinou a adorar e me direcionou a ministrar àqueles que estão passando por situações parecidas com a que eu vivi”, conta Jozyanne.

Produzido por Josué Lopez, o álbum possui 13 faixas no estilo pop pentecostal, característico da cantora. São canções de adoração, e cada letra foi composta para quem deseja adorar a Deus em qualquer circunstância. Com participação especial de um coral com cerca de 800 integrantes, Esperança marca um novo tempo para Jozyanne. Quem vive entre sonhos e dificuldades se emocionará com esse trabalho, que apresenta duas composições da cantora. Conheça mais sobre esse novo projeto na entrevista a seguir.

Revista Fiel: Por que o título Esperança?
Jozyanne: O nome foi definido ainda no tempo em que eu estava presa dentro de casa, em um momento terrível da minha vida, quando fui diagnosticada com Lúpus. No início do tratamento, a médica exigiu que eu ficasse ausente de todos os meus compromissos para cuidar da minha saúde, pois estava muito comprometida. No meio de toda aquela ventania e com muitas lágrimas, eu dizia no fundo do meu coração: Eu não vou perder a minha esperança. Quando eu sair desse processo, vou dizer a todo o mundo que vale a pena crer em Deus e que devemos ter a esperança bem viva em nosso coração. Foi assim que nasceu o título do CD e também a música tema, que eu mesma compus.

Este é o seu segundo álbum pela Central Gospel Music. Como você descreve seu ministério hoje, depois do sucesso do CD anterior? 
O CD Meu Milagre tem alcançado o Brasil até hoje. Costumo ouvir o povão cantando as músicas do CD nos lugares aonde eu vou. Sempre peço a Deus que o meu trabalho dê muitos frutos para o Seu Reino. Isso é exatamente o que a Central Gospel tem em comum comigo. Nosso trabalho é alcançar vidas, porque sabemos que nada acontece se o Senhor não estiver à nossa frente.

Você sempre priorizou em seu repertório canções com estilos bem definidos, como o pop pentecostal. Mas, no seu último trabalho, você inovou em uma das músicas, usando uma batida bem estilizada, no ritmo do rap. Neste trabalho, também há alguma canção diferenciada?
Sempre trago uma surpresa, e com o Esperança não poderia ser diferente. Mais uma vez quebrei o protocolo e dei total liberdade para o produtor Josué Lopez. Ao som do teu louvor é uma música que conta a história do Rei Saul quando foi atormentado por espíritos do mal e mandou chamar Davi para tocar a harpa, e assim, ser liberto. Quando Josué ouviu a letra, na mesma hora ele teve a ideia de criar uma trilha sonora com uma orquestra, que chamamos de Trilha de Saul. Nessa faixa, também utilizamos uma harpa, um instrumento acústico que foi executado com muita singeleza. Ao som dessa canção, prisões e cadeias cairão por terra. É uma explosão de louvor!

Quais critérios você utilizou para a escolha do novo repertório? Será um álbum temático ou terá letras com abordagens diferentes?
Esse álbum não é temático, mas voltado à adoração com ritmos pentecostais, com os quais me identifico. Também não é um CD triste, pelo contrário, é de quebrantamento na presença de Deus e de celebração. Nesse tempo de deserto que eu passei, o Senhor me ensinou a adorar até em circunstâncias contrárias. Ele me direcionou a ministrar àqueles que passaram por situações parecidas com a que eu vivi e a mostrar que devemos depositar a nossa esperança nele.

Por que você optou por fazer a gravação desse álbum com um coral? 
Ver pessoas serem tocadas, consoladas, chorando e adorando junto comigo foi algo sobrenatural. Eu quis mostrar a fé dos meus irmãos na captação do áudio e trazer muito mais confiança para aqueles que estão sem esperança.

Quais são os compositores do álbum? Todas as canções são inéditas ou existe alguma regravação? 
São 13 canções ao todo, com composições de Gislaine e Mylena, Júnior Maciel e Josias Teixeira, Tony Ricardo e Vânia Santos, além de duas inéditas minhas. Terão também duas regravações, uma da música Rendição, de Amaury Bertoqui, e Teus Olhos revelam, de Marcos Witt.

Destaque uma música que você considera especial neste álbum. 
Se eu não conseguir falar é realmente a minha música. Ela é o resumo do que eu passei na minha intimidade com Deus, e tenho certeza que consolará muitos corações. Quando a ouvi, tinha acabado de voltar da clínica com meu diagnóstico e, naquela hora, a única vontade era de chorar. A canção foi enviada por e-mail pela Gislaine e a Mylena, mas ficou na minha caixa de entrada por mais de duas semanas. Aquele dia eu disse: Eu vou focar no meu CD porque sei que Deus vai cuidar de mim. Até hoje, quando eu a ouço, choro.

O que significa poder trabalhar junto com seu irmão, Josué Lopez, na produção de mais um CD que promete ser sucesso?
O Josué foi uma descoberta que fiz em 2008 e, desde então, nunca mais nos separamos nas produções. Mas nesse CD, ele se superou. São mais de 25 profissionais envolvidos na produção, além de cerca de 800 pessoas no coral. Esse álbum, com certeza, marca um novo tempo na minha vida, impossível ouvi-lo sem sentir algo diferente.

O que foi mais importante na realização desse projeto musical?
O privilégio de estar viva para concretizá-lo. Isso é muito importante para mim. Vivo meus dias agradecendo a Deus por poder realizar com excelência o que Ele entregou em minhas mãos. É o meu melhor e, com muita gratidão, digo para Deus todos os dias: É todo Teu, Senhor.

Fazendo uma análise do seu trabalho anterior para o atual, qual é o maior diferencial deste álbum? 
Meu milagre foi um CD profético, e Esperança é um álbum de adoração a Deus. Este traz ministrações que nos motivam a adorar ao Senhor em qualquer circunstância. Mas, o meu amadurecimento por meio de todas essas experiências contadas vão responder melhor quando cada pessoa ouvir as canções.

Deixe uma mensagem especial para todos que ouvirão esse CD.
Na hora da tribulação, dos momentos de solidão e das lágrimas, não murmure. Adore! Isso vai fazer com que consiga dar passos em direção ao milagre. Prosseguir é o alvo. Ficar parado, jamais. Nunca perca a esperança no Deus que te deu o fôlego de vida e que sabe o que é melhor para você.


terça-feira, 14 de outubro de 2014

PATRICK MENDES

Posted: 13 Oct 2014 05:35 PM PDT

Ele começou cantando no coral de crianças da sua igreja com 6 anos, quando sua liderança percebeu que tinha um grande potencial, logo colocaram Patrick para fazer solos, e ele começou a cantar para ofertas, as pessoas que iam a igreja e escutavam ele cantar ficavam admiradas e faziam convites pelo bairro, depois em sua cidade e hoje pelo Brasil ministrando o amor de Deus. O Primeiro trabalho em estúdio de Patrick Mendes é o disco "Pode Confiar" com 12 faixas belíssimas incluindo os sucessos Rios de Deus e Glória na Tempestade. Ouça os singles: 

Rios de Deus

Glória na Tempestade

Siga Patrick nas Redes Sociais:
Twitter: @mendes_patrick
Contato:  12 98240-5136

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

PARA NOSSA MEDITAÇÃO: TODO DIA COM AS ESCRITURAS JOSUÉ 13:1-14


Todo Dia Com as Escrituras

Josué 13:1-14 (leia aqui)

O Senhor mostra a Josué que ainda havia muitíssima terra a se possuir. As fronteiras também lhe foram mostradas (1:4). Eram fáceis de lembrar. Ao sul, o grande deserto; ao norte, a grande montanha, o Líbano; a leste, o grande rio, o Eufrates; e, finalmente, a oeste, o grande mar, o Mediterrâneo. A terra a ser ocupada pela fé também tem seus limites, que é o mundo como o vemos: deserto – árido, sem frutos para Deus; repleto de ambição e orgulho (a montanha); próspero e lucrativo (o rio); impetuoso e constantemente problemático (o mar – Judas 13; Isaías 57:20). Queridos filhos de Deus, cuidado para não ultrapassarmos essas fronteiras. Muitos as cruzaram por tentação ou por pura curiosidade, e a maioria jamais retornou. Por outro lado, dentro dos limites “ainda muitíssima terra ficou para se possuir”. Os inesgotáveis tesouros da Palavra, as insondáveis riquezas de Cristo estão esperando para serem possuídos a fim de que – segundo a oração do apóstolo – possamos “compreender, com todos os santos, qual é a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade e conhecer o amor de Cristo, que excede todo entendimento” (Efésios 3:18-19). Cristãos, essas são as infinitas dimensões de nossa fé nEle.

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

O MIINISTÉRIO DE PASTOR, SEGUNDO A BÍBLIA - EXTRAÍDO DE LIGADO NO GOSPEL

O ministério de pastor, segundo a Bíblia


Por Eliseu Antonio Gomes

O apóstolo Paulo afirmou: "Esta é uma palavra fiel: se alguém deseja o episcopado, excelente obra deseja" - 1 Timóteo 3.1. Episcopado é a função pastoral.

No original do Novo Testamento, o vocábulo pastor é "poimen", que significa boiadeiro, pastor de ovelhas, alguém que cuida com carinho, alimenta, protege um rebanho. Nas páginas neotestamentárias, a palavra é aplicada com referência a Cristo (João 10.11,14, 16; Hebreus 13.20; 1 Pedro 2.25). Também, como referência a um pastor cristão a cujo carinho e liderança outras pessoas são confiadas por Jesus Cristo (Efésios 4.11).

Entre os cinco dons ministeriais, talvez o dom de pastor é o mais difícil de ser exercitado e também o mais desejado por aqueles que almejam exercer o ministério com fidelidade. O pastor necessita ser extremamente dedicado e ao mesmo tempo ter graça e unção de Deus para ser um obreiro considerado apto ao ministério cristão.

Sem dúvida, para alcançar o patamar de excelência pastoral, é indispensável que a pessoa esteja disposta a aprender os métodos de comunicação de Jesus, imitar a Jesus e ser o exemplo entre os fiéis.

A pregação de Jesus e as teorias modernas do cérebro

"Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade" - 2 Timóteo 2.15.

Uma pergunta importante que os pregadores precisam conhecer a resposta: Qual era o método de Jesus Cristo para atingir o público-alvo ao pregar?

Nos últimos anos houve grandes avanços na pesquisa do cérebro, os quais levaram a uma multiplicidade de teorias sobre o modo de funcionamento desse órgão.

São duas as linguagens de que os terapeutas precisam para chegar à pessoa como um todo: a linguagem do hemisfério esquerdo e a do direito.

Formas de linguagem relativas ao hemisfério esquerdo são todas aquelas que operam com o exercício do raciocínio, análises. As argumentações lógicas e objetivas, demonstrações, deduções e pensamento consequente, inferências.

O iluminismo, o racionalismo, o progresso da técnica e a matemática, o historismo, a desmistificação, o pensamento sóbrio, a "razão" e a "lógica" conduziram, nos últimos séculos, a uma ênfase demasiada sobre as realizações do hemisfério esquerdo do cérebro. Teorias e arcabouços doutrinários recorrem, em grande medida, ao universo de linguagem do hemisfério esquerdo.

O lado direito do cérebro está fixado mais intensamente em elementos ilustrativos e descritos, na captação de sentimentos e sensações, bem como no enfoque de contemplação mais integral. Pensamento analítico, sequências claras, conclusões finais e estruturações temporais e lógicas são alheias ao modo de pensar do hemisfério direito. São familiares ao hemisfério direito as coisas verbais, ilógicas, plásticas. Seu ponto forte é a compreensão integral, que entra menos nos detalhes, porque conhece a pluralidade. Formas de linguagem relativas ao hemisfério direito constroem uma ponte para o que vários psicólogos chamam de subconsciente.

Quando analisamos as formas de linguagem referentes ao hemisfério direito, encontramos paralelos muito interessantes com a pregação de Jesus: parábolas, figuras de linguagem, jogos de palavras, adensamentos, afirmações paradoxas, tudo isto faz "vibrar" o lado direito do cérebro. Poucas vezes Jesus expressou formulações teológicas abstratas - que seriam dirigidas predominantemente ao lado esquerdo do cérebro. Nessa sua maneira Jesus não apenas se comunicava com eficácia, Ele também comunicava algo qualitativamente diferente do que poderiam fazê-lo grossos compêndios teológicos. 

Humildade: necessidade pastoral

O dicionário Michaelis descreve o substantivo feminino "humildade" como uma virtude pela qual manifestamos o sentimento de fraqueza, modéstia, pobreza. Diz que é demonstração de respeito, de submissão. É inferioridade.

Sem dúvida, Jesus Cristo é o modelo de ser humano portador de perfeita humildade. Em seu exemplo, vemos que era humilde porque tinha autoconhecimento. Por conhecer-se bem, não quis ser mais ou menos importante do que realmente era. Sem duvidar, Ele declarou que era o Filho de Deus e recitou os textos do Antigo Testamento que se referiam a Ele, tal qual quem se apresenta entregando um cartão de visitas. 

Para uma pessoa exercer o pastorado com eficiência, deve conhecer-se muito bem. Jesus Cristo apontou para os traços da estrutura do homem, para que este examine-se e esteja apto a servi-lo de maneira correta:

Fraqueza humana. "Sem mim nada podeis fazer" (João 15.5). Assim como os ramos se não estiverem ligados à videira morrem, o ser humano separado de Jesus Cristo não é capaz de manter-se, espiritualmente, vivo sozinho.
Carência humana. "Simples como uma pomba" (Mateus 16.15). Este texto remete à necessidade de agir com compostura, decência, desambição. Porém, também, para a condição de ser uma pessoa inofensiva, não dada a ofender e praticar maldades. Haja vista que o pombo é a ave que simboliza o Espírito Santo (Mateus 3.16)!
Pobreza da natureza humana. Em Mateus 5.3, Jesus Cristo enalteceu a pobreza de espírito, afirmando que os pobres de espírito são bem-aventurados. É preciso entender que neste caso "espírito" tem a conotação de intenção. Cabe ao pastor estar sempre intencionado a agir com um objetivo só: realizar, única e exclusivamente, o propósito de Deus. Não existe no ser humano nenhum valor agregado que o faça capaz de edificar a alma para alcançar a vida eterna por esforço próprio. É preciso aceitar e viver segundo a pobreza de espírito, isto é, aceitar o sacrifício vicário de Cristo como meio de salvação. Cabe ao pastor, e a todo cristão, pregar e praticar esta realidade.
Inferioridade humana. Jesus é Deus. Todos os fundadores de religiões morreram, seus restos mortais jazem em túmulos ou já se deterioraram inteiramente. O pastor evangélico deve reconhecer ser inferior a Cristo e reduzir-se a sua insignificância como reles pó, usar o ministério para anunciar a Palavra de Deus, que é eterna e prepara o espírito humano à eternidade com Deus. Afinal, só Jesus é a porta, o caminho, a verdade e a vida (João 13.4; 14.6), o Bom Pastor que deu a vida pelas ovelhas (João 10.11, 14), e o Sumo Pastor das ovelhas, a quem o pastor deve usar como modelo de servo de Deus (Hebreus 13.20; 1 Pedro 5.4). 

Delegação de autoridade

"Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus. E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros" - 2 Timóteo 2.1-2.

Deus trabalha com os homens como quem trabalha com as árvores. Ele planta para o futuro. Ele nunca sacrifica o futuro de um homem por um mero prazer ou alívio passageiro. Um jovem encontrou um homem já de bastante idade plantando um pé de nogueira num campo, na Suiça, e, ficando surpreso, disse: - "O senhor não sabe que este pé só dará frutos daqui a sessenta ou setenta anos?" - "Sei", foi a resposta, "mas estou colhendo o fruto de muitas árvores que homens de bom-senso plantaram a setenta e mais anos para mim". Os discípulos de Jesus adquiriram tal confiança nEle que deixaram tudo para segui-lo; mas Ele mesmo disse a Pedro: "O que Eu faço não o sabes tu agora, mas tu o saberás depois" (João 13.7). Com o plano todo diante de nós, entendemos muitas coisas bem melhor, e muitas coisas que não entendemos agora, os nossos descendentes entenderão. 

Se o pastor pretende construir um ministério significativo para o reino de Deus, o primeiro passo é reunir um grupo e distribuir tarefas. A chave para alcançar os objetivos é estabelecer acordos, como fez o Filho de Deus ao chamar para perto de Si os discípulos que quisessem estar com Ele voluntariamente, para treiná-los à Obra e depois enviá-los a pregar por todo o mundo. Infelizmente, muitos pastores acreditam que podem realizar tudo sozinhos, consideram que é manifestação de fraqueza aceitar auxílio. 

O traço mais importante de um pastor é não ser um homem individualista. O ministério de uma pessoa com esse tipo de comportamento não chegará muito longe. A verdade é que boas intenções, nobres ideias, não levam a lugar algum, a menos que o líder forme uma equipe e consiga envolvê-la em seu planejamento pastoral. Ao criar uma equipe, tal qual Jesus e os discípulos, fará com que a Palavra de Deus seja transmitida em maior proporção em sua geração e às gerações futuras.

Requisitos que o pastor deve apresentar

A pessoa que possui chamado para pastorear precisa possuir características de verdadeiro pastor, pois sua função é servir de guia ao rebanho de Cristo:

• Deve ter irrepreensibilidade moral, não escandalizar ou envergonhar a igreja;
• Ter vida conjugal exemplar, praticando a monogamia (Efésios 5.25);
• Vigilante. Sempre atento, zelando pelo seu bem-estar, de sua família e de todas as famílias da igreja local (1 Timóteo 4.12, 16; 1 Pedro 5.3, 7);
• Honesto (Mateus 5.37; 1 Pedro 1.15; Tiago 2.12);
• Hospitaleiro. O termo vem de hospital, e tem o sentido de acolher aos necessitados, providenciar repouso aos cansados; socorro aos enfermos e comida aos famintos (Deuteronômio 16.19; Malaquias 2.9; Lucas 10.34-35; 1 Timóteo 2.11; e Tiago 2.9).
• Não propenso às bebidas embriagantes.
• Mantenedor da boa ordem, não espancador. Aqui vale dizer da violência verbal, não apenas da violência física, pois quem possui língua descontrolada pratica a religião em vão, o poder da palavra mal empregada é descrito como agente capaz de incendiar um grande bosque, destruir o curso natural das coisas, e seu fogo destruidor é aceso no próprio inferno (Tiago 1.26; 3.5-7);
• Moderado. Uma pessoa gentil, emocionalmente controlada, fácil de se gostar (Tiago 3.17).
• Não contencioso. O Salmo 133 nos adverte que Deus ordena que haja bênção apenas aonde existe a comunhão entre os irmãos.
• Não avarento;
• Que governe bem a sua casa. Ser capaz de educar os filhos exemplarmente, tornando-os exemplos para as crianças da igreja. Esta capacitação ao pastoreio vem do alto, para Deus tudo é possível! (1 Timóteo 3.4; Tito 1.6);
• Experiente. O antônimo deste vocábulo na tradução Almeida Revista e Corrigida é "neófito". Para pastorear, é preciso que haja a experiência de vida para que possa oferecer lições úteis e aplicáveis segundo a sabedoria de Deus.
• Tenha condição de dar bom testemunho aos descrentes. O pastor deve ser o cidadão que proclama a mensagem de Cristo por palavras e atos, jamais ser contradizente em seu discurso através de sua conduta. Antes, durante e após falar sobre paz, agir como o pacificador; antes, durante e após pregar sobre evangelismo, ser um propagador das boas novas e ganhador de almas.

A responsabilidade do pastor na igreja local e no lar

As duas principais instituições criadas por Deus é a família e a Igreja de Cristo.

O pastor deve ter claro em sua mente que Cristo é o Cabeça da Igreja, e de maneira alguma, quem pastoreia deve assenhorar-se da comunidade cristã como se todos os membros fossem seus subordinados. (João 21.15-17; Efésios 1.22; Tito 2.7-8).

Quando Jesus percorria pregando as boas novas do reino de Deus em sinagogas, aldeias, curava enfermos e se compadecia das multidões, olhava para cada ser humano como ovelhas cansadas e sem pastor (Mateus 9.35-36). Ao subir ao céu, Ele instituiu o singular ministério de pastor, com o objetivo de que existam pessoas habilitadas a apascentar, nutrir, cuidar de seu rebanho.

A igreja local é formada por famílias e o pastor deve agir como o pai, irmão e filho amoroso desta família. Instruindo Timóteo em seu pastorado, Paulo recomendou que ele ensinasse aos mais velhos como se fossem seus pais e aos mais novos como se fossem seus irmãos (1 Timóteo 5.1-2). O pastor deve estar preparado para apresentar a postura adequada para todas as situações. Sempre saber lidar com todas as espécies de problemas dentro da comunidade cristã, tal qual problemas dentro da estrutura de um lar: providenciando socorro aos problemas financeiros, a disciplina em amor aos neófitos em rebeldia, etc.

O pastor deve ser a figura mais presente no cotidiano da igreja local, ao apascentar os cordeirinhos com a Palavra de Deus, o rebanho cresce e atinge a plena maturidade espiritual. O pastor deve estar sempre disposto a ministrar ao membro doente em sua casa ou no hospital; realizar os casamentos e ajudar na manutenção do matrimônio em tempos de crises e perdas de entes queridos; o pastor deve ser o garçom em prontidão a servir o alimento espiritual de acordo com a dieta celestial balanceada e equilibrada no tempo certo.

Conclusão

Deus deu pastores para a Igreja de Cristo, e não a Igreja de Cristo aos pastores. O pastor que é verdadeiramente vocacionado, exerce seu pastorado sem jamais esquecer-se que não cuida de ovelhas que são suas, mas de ovelhas que Cristo lhe confiou os cuidados. Através das sete cartas no livro de Apocalipse, notamos que o Senhor observa como cada pastor se comporta e um dia cada pastor, de todos as regiões do planeta e épocas distintas, terão que prestar contas sobre a qualidade de trato que dispensou a cada uma das pequeninas ovelhas do Senhor.

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

A ESSÊNCIA DO ANTIGO TESTAMENTO E A ESSÊNCIA DO NOVO TESTAMENTO - LIVROS

Os livros A Essência do Antigo Testamento e A Essência do Novo Testamento tem o intuito de formar leitores que compreendam o conteúdo e o contexto bíblico de forma clara e prática. As duas obras reúnem décadas de pesquisa acadêmica e experiências de ensino dos professores universitários Ed Hindson e Garry Yates, que trabalharam na pesquisa do Antigo Testamento, e Elmer Towns e Ben Gutierrez, que editaram o livro sobre o Novo Testamento.

Com uma apresentação panorâmica das Escrituras, os dois volumes proporcionam uma introdução de cada livro bíblico, incluindo contexto, estrutura, mensagem e importância teológica. Eles apresentam ainda recursos como fotografias coloridas, mapas, ilustrações, tabelas e perguntas para estimular o estudo.

Direcionados tanto para estudantes universitários como para pastores e leigos que desejam estudar a Bíblia, os livros também motivam o público a descobrir e praticar as verdades e a sabedoria contidas nos textos bíblicos. Além disso, os leitores entenderão com precisão como o Antigo Testamento relaciona-se com o Novo Testamento e a fé cristã.

A Essência do Antigo Testamento ressalta os elementos-chave da literatura hebraica, formada pela lei, pelos profetas e pelos poetas. A obra fornece também capítulos introdutórios sobre o mundo, a arqueologia, o cânon e o texto do Antigo Testamento. Uma seção inédita e exclusiva do livro é Destaques do hebraico, que tem o objetivo de familiarizar os leitores que não entendem hebraico com a imagem, o som e o significado da língua original.

Os livros de Mateus a Apocalipse são analisados na obra A Essência do Novo Testamento, que disponibiliza capítulos introdutórios para explicar como o Novo Testamento chegou até nós, sobre os princípios de interpretação, o período intertestamentário e como examinar as questões que envolvem as semelhanças e as diferenças entre os Evangelhos Sinópticos – Mateus, Marcos e Lucas. A obra contém anotações suplementares e estudos de palavras gregas para leitores da língua portuguesa.

Ambos os livros são resultados do trabalho de estudiosos bíblicos da Universidade Liberty. Edward E. Hindson é doutor em Letras e Filosofia e professor de Religião e Estudos Bíblicos. Gary Yates é professor associado de Antigo Testamento e Hebraico. Elmer L. Towns é o cofundador da Liberty University, professor de Teologia Sistemática e reitor da Escola de Religião na Liberty University e no Seminário Teológico Batista Liberty. Ben Gutierrez é professor de Religião e reitor administrativo dos cursos de graduação.