AdSense

terça-feira, 30 de junho de 2015

DIGA OBRIGADO - MAX LUCADO

Diga Obrigado

O Apóstolo Paulo diz “dando graças constantemente a Deus Pai por todas as coisas, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo.” (Efésios 5:20)
Você não tem que nomear seu filho de Emanuel, porém, você poderia. Ou você poderia rabiscar uma carta listando todas as bênçãos dEle ou até escrever uma canção em honra dEle. Você poderia financiar um órfão ou adotar uma criança só pelo fato de Deus ter adotado você. O caminho mais garantido para sair de uma crise está sinalizado com uma placa dizendo “Obrigado.”
Mas e a respeito dos dias desastrosos? Você é grato mesmo neles? Jesus era. “Pois recebi do Senhor o que também entreguei a vocês: Que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão e, tendo dado graças, partiu-o e disse: ‘Isto é o meu corpo, que é dado em favor de vocês; façam isto em memória de mim’” (1 Coríntios 11:23-24). Não é com frequência que as palavras “traído”e “graças” se encontram na mesma frase, muito menos no mesmo coração. Qualquer um pode agradecer a Deus pela luz. Mas Jesus nos ensinou a agradecermos pela escuridão!

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Chore aos pés de Jesus

Chorando aos pés de Jesus

Mensagens Evangelicas

Chore aos pés de Jesus


Chorar faz parte da vida. Choramos de alegria e choramos de tristeza. O choro marca o nascimento de um bebê e também a morte de um ente querido. Choramos por amor e pela dor. O choro pode vir por causa de uma bela demonstração de carinho ou uma traição inesperada. As lágrimas podem rolar em nosso rosto por uma grata surpresa ou por uma amarga decepção.

Dizem que chorar lava a alma, traz uma sensação de alívio. É como se as lágrimas levassem embora o nó na garganta. Para ser sincero, eu me sinto restaurado depois de chorar, e confesso que essa restauração vem, principalmente, quando choro aos pés de Jesus em oração. Ele disse: "Bem-aventurados os que choram, pois serão consolados" (Mateus 5:4).

Para Jesus, nossas lágrimas são muito preciosas. Vemos em Lucas 7:37-50 sobre uma mulher pecadora e mal vista pela sociedade, que se lançou aos pés de Jesus e chorava tanto a ponto de lavar os Seus pés com lágrimas: "E se colocou atrás de Jesus, a seus pés. Chorando, começou a molhar-lhe os pés com as suas lágrimas. Depois os enxugou com seus cabelos, beijou-os e os ungiu com o perfume" (Lucas 7:38).

Acredito que aquela mulher não chorava de medo, de dor ou de remorso. Pelo contrário, penso que suas lágrimas eram lágrimas de quebrantamento - e é exatamente esse choro que toca o Senhor e O alegra. "...um coração quebrantado e contrito, ó Deus, não desprezarás" (Salmos 51:17). Aquela mulher chorou aos pés de Cristo porque foi tomada por Seu amor, surpreendida pela Sua misericórdia e constrangida pela Sua graça. Ao notar que o Senhor a aceitou do jeito que ela era, sem a acusar, ela não conseguiu guardar o sentimento de gratidão.

A Bíblia não traz muitos detalhes sobre a história de vida daquela mulher, mas eu tenho certeza de que ela já havia chorado por outros motivos ao longo de sua vida. Creio que suas lágrimas deviam estar cheias da dor do seu passado, de seus erros, das humilhações sofridas. Mas, aos pés de Jesus, seu choro era diferente. Era uma resposta de gratidão ao amor incondicional que o Filho de Deus havia demonstrado pela sua vida.

Pode ser que você esteja vivendo alguma situação que te faça chorar. Não sei se os últimos acontecimentos têm feito você chorar de tristeza ou de alegria. Mas eu tenho algo importante a dizer para você: Chore aos pés de Jesus!

Se você tomar a mesma atitude que aquela mulher tomou e chorar aos pés de Cristo, você sentirá uma imensa alegria, pois a paz do próprio Senhor virá sobre você. Talvez as circunstâncias não irão mudar da noite para o dia, mas você não dependerá mais das circunstâncias, pois os seus olhos estarão somente no Senhor. E tem mais: Com Cristo, você pode até chorar por toda uma noite, mas você saberá que "a alegria vem pela manhã" (Salmos 30:5). 

Nada mais nos conforta do que nos lançarmos aos pés Daquele que tudo pode, que é Rei sobre todas as coisas, que nos conhece como ninguém, que entende a nossa dor e a nossa angústia. 
Chorar aos pés de Jesus nos dá confiança para seguir em frente e continuar sorrindo. 

"Ouve, Senhor, e tem misericórdia de mim; Senhor, sê tu o meu auxílio". Mudaste o meu pranto em dança, a minha veste de lamento em veste de alegria, para que o meu coração cante louvores a ti e não se cale. Senhor, meu Deus, eu te darei graças para sempre" (Salmos 30:10-12).



Fonte: http://www.pastorantoniojunior.com.br/mensagens-evangelicas/chore-aos-pes-de-jesus#ixzz3dp2mu400

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Provérbios 19:14


Provérbios 19:14



A casa e a fazenda são a herança dos pais; mas do Senhor vem a mulher prudente.



Temos aqui duas regras de sabedoria; a conjugal e a familiar. Bons pais deixam uma herança para os seus filhos, e uma mulher virtuosa é uma dádiva de Deus. Se todos os pais provessem financeiramente os seus filhos, cada geração seria melhor. Se todas as famílias confiassem no SENHOR para uma mulher excepcional, cada geração teria uma prosperidade conjugal e doméstica. Estas regras são sabedorias básicas para formar uma família grande e piedosa de longa duração.

Muitos homens não deixam uma herança para os seus filhos. Eles fracassam por dois motivos principais. Ou eles não trabalham o suficiente e espertamente para gerar uma receita que exceda as suas necessidades, ou eles gastam aquilo que ganharam através de investimentos arriscados ou gastos tolos. Ou eles são preguiçosos demais para ganhar mais do que consomem, ou eles são tolos e egoístas demais para preservar um capital para a geração seguinte. As duas faltas são pecadoras! Veja os comentários de Provérbios 18:9.

Considerando que os filhos devem ajudar e sustentar os pais idosos necessitados (ITm 5:3-16), esta não é a ordem de Deus para gerar grandes famílias. Pais que não prouveram para si mesmos destroem famílias, pois tiram de seus filhos quando estão idosos. Filhos devem economizar dinheiro para seus filhos e netos, não para os seus pais (IICo 12:14). Homens bons deixam uma herança para os filhos e netos (Pv 13:22). Esta é a regra de Deus para grandes famílias. Considere o quanto isto foi importante para Calebe e Jó (Js 15:17-19; Jó 42:12-17).

Mas grandes famílias precisam mais do que riquezas para progredir e se desenvolver. Eles também precisam da maravilhosa benção de mulheres virtuosas: pois é pelo caráter, diligência, reputação e treinamento delas que as famílias se tornam grandes (Pv 31:10-31) Grandes mulheres podem produzir grandes famílias. Encontrar uma mulher mediana não apresenta dificuldade nenhuma; mas achar uma grande mulher é como procurar por jóias. É muito difícil. O SENHOR precisa abençoar essa busca pelos Seus critérios sábios e Sua direção providencial (Pv 18:22). Mas que busca maravilhosa!

Uma mulher preguiçosa, detestável, mundana ou metida à santa, destruirá a paz, o desenvolvimento e a prosperidade familiar. Essa criatura maligna destruirá o filho de uma família, e os netos compartilharão dos genes e exemplos desta fonte maligna. Pais sábios desprezarão meninas ''mais ou menos''; eles rogarão ao SENHOR e buscarão com todas as suas forças por meninas preciosas - aquelas meninas realmente raras que transbordam de diligência, bondade, espiritualidade e humildade. É importante sempre enfatizar os exemplos das escrituras e vida dessas mulheres raras. Uma grande mulher pode fazer mais pela família do que qualquer outro fator. Não aceite nada inferior a isto! Busque e conquiste-as com zelosa perspicácia! Ore com fervor e com frequência por este raro tesouro! Explore todas as opções para encontrar uma delas para cada um dos seus filhos e netos! Nunca abra mão de uma única regra das Escrituras para esposas, ou você pagará caro. Não deixe que nada o distraia ou o impeça de exigir o melhor. Proíba os seus filhos de casarem com inferiores; (Gn 26:34-35; Jz 14:1-3) encontre meninas piedosas para eles (Gn 24:1-67; 28:1-5; Ed 2:61).

Pais, apeguem-se à visão! Planejem, preparem e orem agora para formar uma família piedosa por gerações que hão de vir economizando dinheiro para os seus filhos e netos e procurando por terras e mares por uma grande mulher. Faça do planejamento das suas propriedades um objetivo piedoso. E confie no SENHOR; faça seu o critério mais importante que é o de temer o SENHOR; e rogue a Ele por misericórdia em sua busca por uma mulher piedosa. Entregue este projeto familiar a Ele para a glória e honra Dele.

terça-feira, 16 de junho de 2015

LiteraturadeCristo Music Gospel

Provérbios 16:20


Provérbios 16:20



O que atenta prudentemente para a palavra achará o bem, e o que confia no Senhor será bem-aventurado.



Você depara com decisões e dilemas diariamente. Somente duas coisas são necessárias para se obter sucesso - sabedoria e fé. Sabedoria, o poder de julgar retamente, vai lhe ajudar a responder a cada um com justiça e prudência. Toda vez que você fizer isto, bênçãos naturais e espirituais seguirão. Fé, a confiança nas bênçãos de Deus o protegerá e o prosperará, quando você respeita a honra e a justiça acima da autopreservação e do autodesenvolvimento.

Sucesso e felicidade são fáceis! Eles são oferecidos aqui! Como são obtidos? Pela sabedoria piedosa nas decisões e fé na sabedoria de Deus (Pv 3:5-6; Js 1:8; ITm 6:6; IPe 3:10-12)! Lidando com as perplexidades da vida por fé na palavra e na providência de Deus, você garante o favor dos outros, a paz e a prosperidade para as escolhas prudentes e a benção de Deus. Que recompensas! Você precisa adquirir sabedoria e fé e usá-los hoje!

A maioria dos homens enfrenta decisões e dilemas com motivos egoístas os quais pervertem os seus julgamentos e os leva a fazer escolhas ruins. Ao invés de confiar em Deus para abençoar uma solução sábia e justa, eles tentam se proteger e prosperar dando um nó na justiça e na eqüidade. Esse tipo de comprometimento funciona? Nunca! Ele retorna à sua origem sob a desaprovação dos outros, os problemas gerados pelas escolhas egoístas e a punição por parte de Deus. Esse tipo de homem está ''descendo a ladeira''!

Onde se encontra a sabedoria para tratar de questões prudentemente e garantir o favor de Deus e dos homens? Nas escrituras cristãs, a inspirada palavra de Deus (Sl 19:7-11; 119:130; IITm 3:15-17)! E muita sabedoria prática é encontrada aqui no livro de Provérbios (Pv 1:1-7; 2:1-9; 30:5-6). Se você ''mergulhar'' na palavra de Deus, você acumulará a verdadeira sabedoria para lidar com as dificuldades da vida e você adquirirá grandes bênçãos e alegria para si mesmo.

Davi tinha grande sabedoria e graça junto ao seu povo (ISm 18:5,14-16,30). De que forma! Ele valorizava altamente a Bíblia (Sl 1:1-3; 19:7-11; 119:1-176)! Ela o ensinou como lidar com o esforço de Saul para matá-lo, a sublevação dos seus filhos, a união de uma nação dividida e a morte de seu filho? Porque ele atendeu à correção de Abigail? A negação de Natã? A repreensão de Natã? Ele poderia ter agido muitas vezes com egoísmo, mas não o fêz. Ele confiou plenamente em Deus.

José e Daniel, cativos estrangeiros nas cortes das maiores nações nos seus tempos, fizeram escolhas de acordo com a palavra de Deus. José resistiu às abordagens de uma linda mulher e foi falsamente condenado por estupro, mas ele se deleitava na sua consciência pura, o favor dos seus carcereiros e Deus o conduziram ao topo do Egito. Daniel resistiu à dieta pagã de Nabucodonosor e dos decretos religiosos de Dario pela paz de sua alma, o respeito dos que o capturaram e Deus o conduziu ao topo da Babilônia e da Pérsia. Você conseguiu entender a lição do provérbio?

A sabedoria inspirada de Deus nas escrituras traz sucesso e felicidade. Considere-a! Ela tem o critério infalível para uma esposa (Pv 31:30), os meios de aplacar a raiva (Pv 15:1), um segredo a respeito da generosidade (Pv 11:24-25), um aviso a respeito das tramoias (Pv 12:11; 13:11), a sabedoria administrativa (Pv 29:21), o perigo de ser fiador (Pv 6:1-5), o valor de economizar (Pv 6:6-8), a sabedoria do capitalismo (Pv 14:4), as regras para educar uma criança (Pv 29:15), e o perigo enganador do álcool (Pv 20:1).

Ela contém avisos a respeito das mulheres adúlteras (Pv 6:25), do valor do trabalho intenso (Pv 22:29), da terrível maldição do orgulho (Pv 16:18), das prioridades da vida (Pv 15:16; 17:1), da natureza da verdadeira amizade (Pv 17:17; 27:5-6), do remédio para o adultério (Pv 5:19), do valor dos conselheiros (Pv 15:22), do mal da sublevação (Pv 20:2; 24:21-22), do perigo de desprezar os pais (Pv 20:20; 30:17), do valor do álcool (Pv 31:6-7), da sabedoria da sociedade humana (Pv 30:27), do cuidado com os pobres (Pv 19:17).

A lição é composta de duas partes. Não distorça o provérbio nem perca o seu valor por não ter entendido que há dois aspectos a serem considerados. Você aplica diligentemente a sabedoria da Bíblia e então confia no Deus abençoado do céu para obter sucesso? Deus espera que você use a sabedoria que Ele deu - qualquer coisa aquém disso, você estará tentando a Ele; mas nenhum grau de astúcia ou prudência, por si só, é capaz de resolver todas as questões - você precisa do favor e da benção sobrenatural de Deus (Sl 127:1-2; Mt 4:5-7).

Um homem sábio não confia em suas motivações e duvida de suas habilidades. Assim ele depende mais das bênçãos de Deus do que dos seus próprios esforços. Ele sabe que não consegue fazer nada sem a assistência divina e, por esta razão, ele se lança sobre a misericórdia e as promessas de Deus depois de escolhido um sábio curso de ação. E esta combinação é a verdadeira sabedoria. Entenda isto e não a esqueças!

Jacó sabiamente dividiu o seu grupo em duas partes e enviou presentes generosos antes de se encontrar com Esaú, mas ele lutou com Deus a noite toda para obter o sucesso (Gn 32:3-32). Davi enviou Husai para distrair Absalão da sabedoria de Aitofel, mas ele rogou e confiou em Deus para obter sucesso (IISm 15:31-34). Ester preparou um duplo banquete para o seu marido, o rei da Pérsia, mas só depois de jejuar três dias e três noites pelo sucesso do empreendimento (Et 4:15-17; 5:1-6).

Se encontrarmos a sabedoria nas escrituras, onde é que encontraremos a fé? No mesmo lugar! "De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus." (Rm 10:17). A leitura regular das tratativas e dos livramentos de Deus com o Seu povo, desenvolverá a fé em Suas providências (Sl 40:4-5; 46:1-11; 77:11-20; 78:1-8; 107:1-43; 111:1-10; 145:1-21; Rm 15:4).

De que forma você lida com as situações difíceis da vida? Pela emoção? Pelo instinto? Pelo hábito? Pelo temor? Pelo exemplo dos pais? Por tomar conta de si mesmo? Pela pressão dos seus pares? Pela opinião popular? Pelas tendências atuais? Pelas considerações práticas? Estas premissas para a tomada de decisões e ações falharão! Você não entendeu a lição do provérbio e você não obterá o sucesso e a felicidade que a sabedoria e a fé poderiam lhe dar!

Homens sábios aprendem a palavra de Deus e a aplicam fielmente. Eles nunca temem a valorização da verdade e da justiça acima da autopreservação e do autodesenvolvimento. Eles sabem que as leis de Deus incluem o sucesso natural, traz a felicidade espiritual e garante a benção e a proteção de Deus. Eles nunca tratam as questões de qualquer outra forma a não ser pela maneira indicada nas escrituras e é nesta confiança que eles confiam num Deus fiel para receber uma recompensa plena (Sl 119:22,94,117,166,173; Hb 11:6).

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Nota de agradecimento

Gostaria de agradecer primeiramente ao meu Deus e a todos os meus amigos do Google, chegamos a 5 mil visitas no blog LiteraturadeCristo.blogspot.com.
Se você ama a Palavra de Deus e quer que ela seja levada aos quatro cantos da Terra e não sabe como, através deste blog estamos divulgando a Palavra de Deus, por isso é importante que você continue conosco, nos ajudando a espalhar a Palavra da salvação, divulgue este blog. Mais uma vez muito obrigado e que o Senhor Jesus continue nos abençoado!

Os respectivos deveres dos maridos e das esposas, por John Gill

Olá, estamos publicando um texto dO Estandarte de Cristo, que agora é nosso parceiro, esperamos que gostem e sejam abençoados com esta palavra. 

Os Respectivos Deveres dos Maridos e das Esposas, por John Gill

[Um Compêndio de Teologia Prática • Livro 4 • Capítulo 1 • Editado]

Estão sob o nome de “culto” ou “adoração”; tudo aquilo que por todos possa ser realizado em relação a Deus, sob a Sua autoridade, de acordo com a Sua vontade e ordenança, em obediência a Ele, e tendo em vista a Sua glória. Desta forma, todos os direitos relativos e mútuos devem ser executados; a sujeição das esposas aos seus maridos deve ser feita como “ao Senhor”, o cabeça do homem, e em obediência a Ele; e os maridos devem amar suas esposas, “como Cristo amou a igreja”, de acordo com o Seu padrão e exemplo, e como que influenciados por Seu amor (Efésios 5:21, 29). Os filhos devem obedecer aos seus pais “no Senhor”, como sendo o que Ele exige, e tem incentivado por Sua promessa; e os pais, como um ato de Religião, devem educar os seus filhos “na disciplina e na admoestação do Senhor” (Efésios 6:1, 4). Os servos devem ser obedientes aos seus senhores, “como ao Senhor”, como Seus servos, e “fazer a vontade de Deus de coração”; e “com boa vontade fazendo o serviço, como ao Senhor, e não aos homens, temendo a Deus”. E os patrões devem cumprir o seu dever para com seus servos “sabendo que eles também têm um Senhor no céu” a quem eles devem prestar contras (Efésios 6:5-9; Colossenses 3:22-24, 4:1); os indivíduos devem obedecer aos magistrados, como sendo “os poderes ordenados por Deus”, e a magistratura uma ordenança de Deus; e os magistrados devem proteger os seus súditos, e ser “o terror, não para as boas obras”, antes eles devem estimular e louvar estas, mas devem vingar e castigar aqueles que são maus (Romanos 13:1-4; 1 Pedro 2:13-14). Deus tem uma preocupação em todos estes, e os homens têm uma preocupação com Ele em relação eles.

Destes vou tratar de forma breve e por sua ordem; a começar com os respectivos deveres de marido e mulher, que se resumem nestas duas compreensões gerais: “Amor”, por um lado e “reverência” por outro (Efésios 5:33), e estes decorrem de uma união conjugal e da relação matrimonial entre as referidas partes; o casamento é uma união de homem e mulher, de um único homem e de uma única mulher em casamento legal, agradável para a criação original do homem (Gênesis 1:27; Malaquias 2:15), e agradável para o curso da providência, que tem sido sempre mantida em todas as épocas e nações; não sendo continuamente quase o mesmo número de homens e mulheres nascidos no mundo, geralmente na proporção de 13 para 12 ou 14 para 13; o excedente do lado dos machos, sendo isto uma provisão por parte do sábio Ordenador de todas as coisas para o fornecimento de guerreiros, marinheiros e etc.

Por esta união conjugal, homens e mulheres, tornam-se um, numa só carne (Gênesis 2:24; Mateus 19:6), esta união é, portanto, muitíssimo íntima e estrita, e de fato indissolúvel senão pela morte, com exceção de um caso, a infidelidade de um para com o outro, por adultério ou fornicação (Romanos 7:2; Mateus 5:32), e este estado deve ser celebrado com consentimento mútuo; de fato, com o consentimento de todas as partes que têm participação nele; com o consentimento dos pais e encarregados da educação, sob cujos cuidados as pessoas solteiras porventura estivessem; e, especialmente, com o seu próprio consentimento, pois ninguém pode ser forçado a casar-se contra a sua vontade; não, nem por seus superiores; isto deve ser o seu próprio ato voluntário e ação, e sendo assim celebrado, é um estado muito honroso: “Venerado seja entre todos o matrimônio” (Hebreus 13:4).

O matrimônio sendo uma instituição de Deus, e instituído por Deus no Paraíso; por quem nossos primeiros pais foram encaminhados a ele, em um estado de pureza e inocência; Deus fez a mulher para ser uma auxiliadora idônea e a trouxe a Adão, então lhe propôs, a quem ele aprovando e aceitando, ela tornou-se sua esposa (Gênesis 2:18, 22-24), isto foi um ato e ação do Senhor, e a ele Cristo atribui o ato do casamento (Mateus 19:6). Cristo o honrou com a Sua presença, e em tal solenidade operou Seu primeiro milagre, e manifestou a glória da Sua Divindade (João 2:1, 2, 11), o que faz com que este estado seja ainda mais honroso do que é.

O casamento de Adão e Eva era um tipo e emblema da união conjugal de Cristo e da Igreja (Efésios 5:32). Adão era uma figura ou tipo de Cristo, e, entre outras coisas, em seu casamento; e Eva, a mãe de todos os viventes, era um tipo da Igreja. Primeiro foi formado Adão, e depois Eva; Cristo era antes da Igreja, e, de fato, antes de todas as coisas; Eva foi formada a partir de Adão, a partir de uma costela tirada do seu lado; a Igreja tem sua origem a partir de Cristo, e sua subsistência por Ele; toda a sua graça, bênçãos e felicidade derivam-se dEle; sua justificação e santificação também provêm dEle, representadas pelo sangue e água que brotaram do seu lado traspassado. Eva foi levada pelo Senhor a Adão, e não contra a sua vontade, mas por seu próprio consentimento, e por Ele foi apresentada como um par apropriado para ele, sendo por Adão aprovada e aceita; assim a igreja foi levada a Cristo, e dada a Ele por Seu Pai, para ser Sua esposa e noiva, da qual Ele se agradou, aceitou e a prometeu a Si mesmo; e seu consentimento é obtido pelas atrações e influências da graça de Seu Pai, isto não é prova direta, mas tem um aspecto favorável e pode servir para ilustrar o esquema supralapsariano; isto é, que Cristo tinha interesse em Sua Igreja, e ela por Ele, e foi prometida a Ele antes que ela caísse em Adão; esta relação matrimonial entre Adão e Eva havendo começado antes da Queda.

Além disso, o casamento é honroso em relação às finalidades dele; que, mesmo antes da Queda, e supondo que Adão houvesse permanecido ele teria tido uma auxiliadora idônea; e a primeira lei da criação teria sido levada a execução, crescer e multiplicar; uma descendência piedosa, uma descendência legítima teria saído dali; famílias formadas e construídas, e o mundo povoado de habitantes; e desde a Queda as finalidades e usos do matrimônio são para preservar a castidade, prevenir a incontinência e por causa da prostituição; bem como para atender à outras finalidades, e particularmente este estado parece honroso: quando os deveres deste são observados por ambas as partes, deveres tais como:


Deveres dos Maridos

1. Primeiro, o amor por parte do marido. “Vós, maridos, amai vossas mulheres” (Efésios 5:25), casos dos quais estão em Isaque, Jacó, Elcana e outros (Gênesis 24:67, 29:18, 20; 1 Samuel 1:5). A natureza e a forma de demostrar este amor, bem como as razões do mesmo, podem ser observadas:

1a. Em primeiro lugar, a natureza deste amor.

1a1. Ele é superior a qualquer outro demonstrado a qualquer criatura que seja; quanto ao próximo apesar dele dever ser amado por um homem como ele próprio, contudo a esposa de um homem é ele mesmo, e amá-la é amar a si próprio, a outra parte de si mesmo, (Efésios 5:28). Os pais devem ser amados, mas a mulher antes deles; pois um homem deixará pai e mãe, e se unirá à sua mulher (Gênesis 2:24). Filhos devem ser amados, mas a esposa antes deles; bem como o marido pela mulher; “não te sou eu melhor do que dez filhos?” (1 Samuel 1:8) e Cristo deve ser amado antes de quaisquer outras relações (Mateus 10:37; Lucas 14:26).

1a2. Deve ser um amor de complacência e deleite, ter prazer e alegria em sua pessoa, companhia e conversa (Provérbios 5:18-19; Eclesiastes 9:9), como é o amor de Cristo pela a Igreja, que é Sua Hefzibá, em quem está todo o Seu deleite.

1a3. Deve ser casto e único, como o amor de Cristo é (Cantares 6:9). E, por essa razão, o homem não deve ter mais esposas do que uma única, pois se isso acontecesse o seu amor seria dividido ou alienado, e aborreceria a uma e amaria a outra, como é comumente o caso; e, portanto, a lei previa que o primogênito seria de qualquer que nascesse (Deuteronômio 21:15, 17; veja 1 Coríntios 7:2).

1a4. Deve ser mútuo. A esposa deve amar o marido assim como o marido a mulher (Tito 2:4) e, geralmente, o amor da esposa é o mais forte e afetuoso (2 Samuel 1:26), essa é a razão pela qual o marido é mais frequentemente exortado a amá-la, porque mais carece de demonstrá-lo.

1b. Em segundo lugar, a forma, ou como e de que maneira o amor deve ser expresso; não em palavras apenas, mas por obra e em verdade; por fatos reais, que falam mais alto que palavras.

1b1. Ao fazer toda provisão adequada para seu bem temporal, representado por “alimentar” e “sustentar” a ela (Efésios 5:29), que incluem comida, roupa e todas as necessidades da vida; ele deve “procurar as coisas honestas”, decentes, convenientes e adequadas à sua posição, estado, condição, circunstâncias e habilidades; e aquele que “não tem cuidado dos seus”, especialmente pela sua própria esposa, filhos e família, “é pior do que o infiel” (Romanos 12:17; 1 Timóteo 5:8).

1b2. Em protegê-la de todos os abusos e danos; posto que ela é o vaso mais frágil, ela deve ser tomada sob sua asa e abrigo; ele deve ser uma cobertura para ela, como Abraão foi para Sara; o qual pode ser representado pela cerimônia praticada no casamento, ou pelo ato em que este é expresso, de um homem estendendo sua capa sobre a mulher (Gênesis 20:16; Rute 3:9), ele deve expor-se ao perigo, e até mesmo arriscar sua vida em sua defesa, e para seu resgate (1 Samuel 30:5, 18).

1b3. Ao fazer tudo o que pode contribuir para o seu prazer, paz, conforto e felicidade. “O que é casado” cuida de “como há de agradar à sua mulher”; nem o apóstolo o culpa por isso, antes o elogia, ou o recomenda (1 Coríntios 7:33). “O ódio excita contendas”, porfias, brigas e a consequência disso é confusão, e toda a obra perversa; “mas o amor cobre todos os pecados”, esconde defeitos, falhas e fraquezas (Provérbios 10:12).

1b4. Na busca de seu bem-estar espiritual. Sua conversão, se não-convertida, e sua paz espiritual, conforto e edificação, sendo ela uma coerdeira com ele da graça da vida; juntando-se com ela em todos os exercícios religiosos; na adoração em família, na leitura, na oração, no louvor, na conferência e conversação Cristã; instruindo-a em tudo o que concerne à doutrina, dever e disciplina da igreja; respondendo às perguntas que ela pode e tem o direito de fazer-lhe em casa (1 Coríntios 14:35). O marido deve opor-se a todo ódio e amargura: “Vós, maridos, amai a vossas mulheres, e não vos irriteis contra elas” [Colossenses 3:19]; não deve usar linguagem amarga, palavras ameaçadoras, olhares maldosos e principalmente agressões físicas; pois isto é cruel, grosseiro, bárbaro e brutal, impróprio ao homem e ao Cristão.

1c. Em terceiro lugar, as razões ou argumentos para o cumprimento do dever do amor de um homem para com sua esposa, são como segue:

1c1. A proximidade entre eles. Ela é a sua própria carne; e “nunca ninguém odiou a sua própria carne”, o que seria monstruosamente antinatural; ela é como “a si mesmo”, a outra parte de si mesmo, e deve ser amada como o seu próprio corpo, pois amar é um princípio na natureza (Efésios 5:28, 29, 33).

1c2. A ajuda, vantagem, e o proveito que ele recebe por ela. Ela é provida como uma ajudadora para ele, e torna-se tal como ele nos negócios da família (Gênesis 2:18), ela é sua companheira, e isto é usado como uma razão pela qual ele não deveria agir traiçoeiramente contra a esposa de sua mocidade (Malaquias 2:14), ela é sua companheira na prosperidade e na adversidade; compartilhando com ele em seus cuidados e problemas, em suas alegrias e tristezas; ela simpatiza com ele em todas as condições, chora quando ele chora e se alegra quando ele se alegra; ela é uma parceira para ele nas bênçãos da graça agora, e será uma parceira para ele na glória eterna.

1c3. A glória e a honra que ela é para ele. “A mulher é a glória do homem”, em que são vistos seu poder e autoridade (1 Coríntios 11:7), alguém que o ama e é casta para ele, e tem o cuidado dos assuntos de sua família, que lhe honra, e é um crédito e uma coroa para ele, e faz com que ele seja respeitável entre os homens; seu coração está nela confiado, e através de sua conduta, ele é conhecido e respeitado “nas portas” (Provérbios 12:4, 31:10, 11, 23).

1c4. O argumento mais forte e mais convincente de todos para um bom homem, é o amor de Cristo à Sua Igreja; que é o padrão e exemplo do amor de um homem para com sua esposa e o que mais fortemente o encoraja a amá-la (Efésios 5:25-28).


Deveres das Esposas

2. Em segundo lugar, os deveres que cabem à esposa são reverência, submissão, obediência e etc.

2a. Reverência. E “a mulher reverencie o marido” (Efésios 5:33); esta reverência é tanto interna como externa; ela deveria pensar bem, e até mesmo muito bem dele, e não desprezá-lo em seu coração, como Mical, a filha de Saul, fez com Davi, seu marido (2 Samuel 6:16), e ela deveria falar dele e para ele, de uma maneira respeitável, como Sara fazia a Abraão, chamando-o de senhor (1 Pedro 3:6; Gênesis 18:12).

2b. Sujeição e submissão a ele. “Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos”, e não como para os outros, mas “como ao Senhor”, o Senhor Jesus Cristo, é o cabeça de todo homem, e também da Igreja. “Assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos”; isto é, em coisas relacionadas aos assuntos familiares; não em tudo o que é contrário às leis de Deus e de Cristo; pois Deus deve ser obedecido antes do que os homens, qualquer homem, até mesmos dos próprios maridos (Efésios 5:22, 24), e esta sujeição e submissão não é um ato servil; não é como a de servidores aos seus patrões, ou como das servas às suas patroas, e muito menos como a dos escravos aos tiranos, ou daqueles que os arrebatam e os mantêm cativos; mas como o corpo e os membros estão sujeitos à cabeça, pela qual eles são regidos, guiados e dirigidos para o seu bem; e isto de forma sábia, afetuosa e gentil.

2c. Obediência. O apóstolo prescreve que as mulheres sejam “obedientes a seus maridos” (Tito 2:5) Sara é um exemplo disso; e temos um exemplo de sua obediência imediata e rápida às ordens de Abraão (1 Pedro 3:6; Gênesis 18:6).

2d. Assistência e ajuda em assuntos familiares, agradável ao propósito original de sua criação; guiando a casa com discrição, mantendo seus filhos e servos em boa ordem e decoro; habitando em casa, e gerenciando todos os assuntos domésticos com sabedoria e prudência (1 Timóteo 2:14; Tito 2:5).

2e. Não assumindo nenhuma autoridade sobre o marido, nem na igreja, mas somente quanto aos assuntos domésticos; buscando agradá-lo em todas as coisas, não fazendo nada sem a sua vontade e consentimento, e nunca contrário a estes; não se intrometendo nos negócios e preocupações seculares, mas deixando-os a ele (1 Timóteo 5:11-12; 1 Coríntios 7:34).

2f. Permanecendo com ele em todos os estados e circunstâncias da vida; indo com ele onde quer que Deus em Sua providência, e seu negócio na vida, chamá-lo; como Sara acompanhou a Abraão na terra da promessa, no Egito e em outros lugares; ela deve fazer como Rute propôs Noemi (Rute 1:16). Existem razões pelas quais a mulher deve ser encontrada no cumprimento dos seus deveres. Algumas delas são:

2f1. Extraídas de sua criação, tempo, modo e propósito dos mesmos; primeiro foi formado Adão, e depois Eva; e, por conseguinte, no ponto de tempo ele possuía a superioridade; o homem não foi feito de e para a mulher; mas a mulher foi feita do e para o homem, para ser uma ajudadora idônea e assistente dele (1 Timóteo 2:13; 1 Coríntios 11:8-9; Gênesis 2:18).

2f2. A partir da consideração da Queda, e o que lhe diz respeito nela: “E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão”, pelo menos a princípio, e os meios de conduzir o seu marido a isso; e, portanto esta é parte da sentença pronunciada sobre ela pela sua transgressão: “Teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará” (1 Timóteo 2:14; Gênesis 3:16).

2f3. Devido ao homem ser o cabeça da mulher; e, portanto, ela deve estar em sujeição a ele como tal (1 Coríntios 11:3; Efésios 5:23).

2f4. Pelo fato de que ela é o vaso mais frágil e, portanto, necessitando de seu abrigo e proteção.

2f5. Pelo seu próprio crédito e honra aqui em causa. Pois seria para ela descrédito e desonra o comportar-se de forma irreverente e ser desobediente; submeter-se a ele “como convém no Senhor” é decente e vem a ser (Colossenses 3:18) assim um ornamento para as mulheres, e o melhor ornamento com que podem cobrirem-se é “estarem sujeitas aos seus próprios maridos” (1 Pedro 3:3-5).

2f6. O principal argumento de todos é retirado da sujeição da Igreja a Cristo (Efésios 5:22, 24).

Em suma, ambas as partes devem considerar o prazer do outro, a paz, o conforto e a felicidade, e, especialmente, a glória de Deus; para que Sua Palavra, caminhos e adoração não possam ser censurados e mal falados por causa de qualquer conduta deles (Tito 2:5).
livraria Rei dos Reis e Senhor 11 2484-4496

sábado, 6 de junho de 2015

As sandálias da humildade

Por Pr. Marcos Antônio
Tire as sandálias dos pés
Ex 3:1-5  Quais as lições que podemos aprender desta ordem divina feita a Moisés no Monte Horebe?   1. A LIÇÃO DA OBEDIÊNCIA * Imediatamente, ao ouvir a divina ordem, Moisés tira as suas sandálias. * As bênçãos são derramadas a partir de um coração submisso a Deus - Dt 28:1-7   2. A LIÇÃO DA HUMILDADE * Ao tirar os sapatos, Moisés desceu um pouco, ficando na sua real estatura. * Os calçados do orgulho e da prepotência nos impedem de sermos usados por Deus - 1 Pe 5:6   3. A LIÇÃO DA SANTIDADE * O Senhor disse a razão de Moisés tirar as sandálias: Porque a terra onde pisas é santa. * Moisés foi lembrado por Deus: Estes sapatos andaram por caminhos que não foram os meus, pisaram a senda do mal. É necessário que sejam tirados - Hb12: 14, 1 Pe 1:15,16.   4. A LIÇÃO DO CONTATO COM O FOGO * Ao tirar as sandálias, Moisés tocou o solo impregnado pelo fogo. * É desejo de Deus que lancemos fora tudo que nos isola do fogo do Espírito - At 2:1-4   5. A LIÇÃO DA POSSESSÃO DA TERRA PROMETIDA * É digno de nota o fato de os dois únicos homens na Bíblia que Deus deu a ordem de tirar os sapatos dos pés, Moisés (Ex 3:5) e Josué (Js 5:15), foram os dois homens relacionados para conduzir e introduzir o povo de Israel na Terra prometida.  Isto nos diz que a possessão das promessas e bênçãos estão condicionadas a nossa renuncia e obediência a voz de Deus - Is 1:19.

sexta-feira, 5 de junho de 2015

"jovem, eu te mando : levanta-te " Lucas 7.14

"Jovem, eu te mando: Levanta-te." Lucas 7.14
Diante do portão da cidade de Naim encontraram-se dois grupos bem distintos de pessoas. Um grupo era movido pela coisa mais pavorosa que existe, que é a morte. O outro grupo era guiado pelo Príncipe e Rei da vida, por Jesus, o Cristo. A viúva enlutada seguia diante do féretro, atrás vinham os amigos e conhecidos. Quando o Senhor viu a viúva e mãe enlutada, teve compaixão dela. Profundamente comovido, falou ternamente as palavras: "Não chores!" Somente Jesus pode consolar dessa maneira! Ele que ouvira o choro dilacerante da solitária mãe, Ele, que podia sondar toda a angústia daquela mulher, curvou-se em atitude consoladora até ela, que estava profundamente abatida. Suas palavras são suaves e delicadas, poderosas e promissoras, palavras simples que vêm do coração. As simples palavras do Salvador "não chores" revelam a mais poderosa força do consolo divino. O que Ele disse à viúva atribulada é um testemunho do Seu amor compassivo para com todos os que choram. Talvez você, justamente agora, se encontre inconsolável e sem perspectiva por alguma razão. Ou talvez você chore em seu coração por uma perda irreparável. Ouça as palavras do Senhor: "Não chores!" Somente Jesus pode consolar dessa maneira. Bastam essas duas simples palavras!
Livraria Rei dos Reis e Senhor 11 2484-4496

Martinho Lutero

Livro de Lutero com anotações é encontrado na França

Notas em 'Tratado da Liberdade Cristã' mostram que o autor reviu o livro para sua segunda edição, ao contrário do que pensavam pesquisadores

Martinho Lutero
Martinho Lutero(VEJA.com/Reprodução)
Um livro de Martinho Lutero (1483-1546) com anotações escritas à mão foi descoberto na Biblioteca Humanista de Sélestat, no nordeste da França, escondido na coleção de um estudioso da Renascença, Beatus Rhenanus (1485-1547). O livro é a primeira edição de Tratado da Liberdade Cristã, escrito em 1520 em latim, e comporta cinquenta anotações escritas em vermelho à mão, que foram autenticadas por especialistas.
Leia também:
A revolução de Martinho Lutero
Trata-se de um "rascunho para impressão" de uma segunda edição, que chegou às mãos do sábio Beatus Rhenanus por intermédio de um cânone de Augsburg, sul da Alemanha, antes de ser impresso em Basileia no início de 1521, incorporando quase inteiramente as modificações de Lutero, detalha James Hirstein, professor universitário de Estrasburgo, que encontrou o livro.
O pesquisador explica que, ao longo dos séculos e das reedições, quinze notas de Martinho Lutero acabaram desaparecendo, porque ninguém sabia que eram suas. A descoberta do volume permitiu identificar um elo perdido. "Como ignorávamos a existência dessas correções manuscritas de Martinho Lutero, não achávamos que ele tinha vontade de publicar uma edição definitiva", disse Hirstein.
As notas do reformista alemão apontam sua "forte relação individual" com Deus, afirmou o pesquisador. De acordo com ele, a descoberta também lança nova luz sobre os pensamentos de Beatus Rhenanus, amigo de Erasmo de Rotterdam, muito influente na época e favorável a uma reforma da Igreja, ainda que não quisesse abandonar o catolicismo.
livraria Rei dos Reis e Senhor 11 2484-4496

LiteraturadeCristo Music Gospel

quinta-feira, 4 de junho de 2015

terça-feira, 2 de junho de 2015

Novas! LiteraturadeCristo.blogspot.com

Comissão aprova regulamentação da profissão de teólogo Objetivo de qualificar a profissão é impedir que a propagação da fé seja realizada por pessoas despreparadas Fonte: Agência Câmara Notícias | 02/06/2015 - 09:35 A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público aprovou, na última quarta-feira (27), o Projeto de Lei 4293/12, do deputado Professor Victório Galli (PSC-MT), que regulamenta a profissão de teólogo. Pela proposta, só poderá exercer a profissão quem tiver diploma do curso de Teologia ou equivalente, expedido no Brasil por escolas oficiais ou reconhecidas pelo governo federal, ou os diplomados em cursos de Teologia ou equivalente por escolas estrangeiras que revalidarem seus diplomas no Brasil, de acordo com a legislação em vigor. Conforme o texto, teólogo é o profissional que realiza liturgias, celebrações, cultos e ritos; dirige e administra comunidades; forma pessoas segundo preceitos religiosos das diferentes tradições; orienta pessoas; realiza ação social junto à comunidade; pesquisa a doutrina religiosa; transmite ensinamentos religiosos; pratica vida contemplativa e meditativa; e preserva a tradição. O parecer do relator, deputado Luiz Carlos Ramos (PSDC-RJ), foi favorável à proposta. “O principal objetivo é de qualificar a profissão, impedindo que a propagação da fé seja realizada por pessoas completamente despreparadas, sem nenhum escrúpulo, que infelizmente usam a religião para auferir lucro, enganando a boa vontade e a fé das pessoas”, afirmou. Atribuições De acordo com a proposta, as atividades do teólogo incluem: o desempenho de tarefas similares às de ministros religiosos; o desenvolvimento de estudos relativos às áreas de investigação e ciências teológicas; e o ministrar de matérias ligadas a essa ciência nos diversos níveis do ensino religioso e na formação escolar. Se o projeto for aprovado, o exercício da atividade de teólogo em desacordo com essas regras caracterizará exercício ilegal da profissão. Tramitação A proposta, que tramita em caráter conclusivo, será analisada ainda pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. Íntegra da proposta - PL-4293/2012

Contra a violência sexual de crianças - Meire Furtado

CONTRA A VIOLÊNCIA SEXUAL DE CRIANÇAS

02/06/2015
Por Meire Furtado

A realidade é realmente muito triste. Entre 250 e 500 mil crianças e adolescentes sofrem com o abuso, violência e exploração sexual no Brasil, de acordo com a Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância). Percebendo o aumento progressivo desse tipo de violência, a Associação Missão Restaurando Vidas (AMRV), elaborou, em 2010, o projeto Menina abusada. A proposta inovadora na região de Sapé, na Paraíba, visa conscientizar a população sobre a violência sexual infanto-juvenil e combater esse tipo de crime. O projeto, que recebe o apoio da Avec, é direcionado aos profissionais das áreas de educação, saúde e assistência social, com objetivo de sensibilizá-los e capacitá-los a detectar o problema, a abordar as vítimas, notificar oficialmente os casos e encaminhá-los para a justiça.

O diferencial desse projeto é a formação dos profissionais que atuam diretamente com crianças e adolescentes, com foco em educação, saúde e assistência social, e a mobilização popular através da apresentação da pela Menina abusada, apresentada nas escolas e nas ruas das cidades alcançadas pelo projeto. “A ideia é sensibilizar a sociedade e mostrar a grave situação das crianças e adolescentes envolvidas na exploração sexual”, informa Maricélia Ferreira, coordenadora da Associação Missão Restaurando Vidas, acrescentando que a intenção é incentivar a participação da comunidade no combate à prática, estimulando as denúncias por meio do Disque 100.

Inicialmente, o projeto foi implantado em dez escolas da capital paraibana, sendo cinco municipais e cinco estaduais, indicadas pelos Conselhos Tutelares das cinco regiões de João Pessoa, seguindo o critério da incidência de casos registrados.

Realizado, atualmente, em 16 municípios paraibanos, o projeto já ofereceu capacitação para mais de 10 mil profissionais da área da educação, 4 mil da área da saúde e 2 mil assistentes sociais. Mais de 15 mil pessoas já assistiram a peça Menina Abusada.

Os resultados positivos geram repercussão e despertam interesse dos educadores e autoridades. Segundo Maricélia, “72% das escolas inseriram o Menina Abusada em seu programa pedagógico, 28% estudam a adesão ao projeto, e oito prefeituras desejam implantá-lo, assumindo, inclusive, as despesas para a sua realização”.

Um estudo realizado pela Missão Restaurando Vidas mostra que a violência sexual na Paraíba está muito ligada aos fatores culturais, sociais e econômicos. Por isso, em todas as escolas, públicas ou particulares, a receptividade ao projeto foi excelente. “A escola é o lugar ideal para detectar e intervir em casos de violações de direitos da criança e do adolescente, uma vez que o principal agressor geralmente encontra-se na família”, revela Maricélia.

Apoio da Avec

A Missão Restaurando Vidas enfrentou grandes dificuldades para manter-se e, por muitas vezes, Maricélia precisou assumir pessoalmente despesas como aluguel, taxas de consumo de água, energia e até mesmo alimentação. “Quando não tinha condições, pedia ajuda a alguns amigos, só que os compromissos e responsabilidades eram tão grandes que quase desisti”, admite a coordenadora.

Em 2010, Maricélia orava pedindo por socorro e, ao assistir ao programa Vitória em Cristo, com o pastor Silas Malafaia, Deus tocou seu coração para buscar ajuda na Avec.

Ela entrou em contato com Associação, por meio de seu site, e, para sua surpresa, em apenas dois dias recebeu uma ligação do pastor Silas Filho, vice-presidente da Avec, que acreditou no trabalho da Missão. “Em poucas palavras falei sobre o trabalho e do meu desespero. Estava sem fé, mas ouvi a voz de Deus. O apoio da Avec nos dá a certeza de que, apesar das dificuldades, conseguimos resultados surpreendentes!”

Outro projeto de destaque, realizado pela , é o Pão para todos, que doa alimentos semanalmente, beneficiando mais de 35 mil pessoas nos municípios de Sapé, Sobrado, Riachão do Poço, Salgado de São Fidelix e Dona Inês. Ao longo dos anos, a Missão Restaurando Vidas beneficiou mais de 600 crianças, entre 6 e 12 anos, com as atividades pedagógicas.

Livraria Rei dos Reis e Senhor 11 2484-4496

Deus nos transforma por meio da Graça

Como podemos então experimentar a graça de Deus? Nós vamos a Deus e levamos nossas fraquezas, nossas incapacidades, nossos pecados, nossa falhas. Nós escolhemos crer no seu amor e no seu poder para nos transformar enquanto descansamos em sua graça. E como resultado: nós crescemos. “Cresçam, porém, na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo” (2Pedro 3.18). Na história do filho pródigo, em Lucas 15, o filho pródigo sai de casa, gasta toda a fortuna de seu pai, mas finalmente percebe a necessidade de sua situação e vislumbra a possibilidade de seu pai ser bondoso com ele (vs. 17): “Quantos empregados de meu pai têm comida de sobra, e eu aqui, morrendo de fome! Eu me porei a caminho e voltarei para meu pai, e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e contra ti. Não sou mais digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados”. Ele se humilhou e foi até seu pai. Ele agiu com honestidade quando voltou e o encontrou. Mas sabe o que aconteceu? O irmão mais velho não gostou nem um pouco daquilo. O irmão mais velho, que criticou severamente o pai por estender graça ao seu irmão, representa o legalismo; pois o irmão mais velho estava dizendo que seu irmão não cumpriu as leis, então não merecia sua graça. Mas o pai ainda amava aquele filho pródigo, não importava o que ele tinha feito. O relacionamento com Deus é mais poderoso do que a Lei. Satanás gostaria que o nosso relacionamento com a lei fosse legalista para que vivêssemos o tempo todo nos sentindo culpados e condenados. Mas o Senhor diz em Romanos 8.1: “Portanto, agora já não há condenação para os que estão em Cristo Jesus...” Debaixo da graça temos mais do que nossos próprios recursos, temos o Espírito Santo de Deus nos capacitando a fazer sua vontade. A vida cheia do Espírito é reconhecer momento a momento a graça de Deus. A vida cheia do Espírito é reconhecer a minha falha quando ela ocorrer e continuar a levar as minhas falhas a Deus. Quando tomamos responsabilidade pelo nosso pecado e pedimos a Deus para nos transformar, nós crescemos. Na cruz, Jesus morreu pelos nossos pecados, por causa da nossa maldade. Nós éramos culpados, e ele pagou por nós. Quando confessamos os nossos pecados, estamos tratando do que é errado e do que a cruz já pagou. Ser um homem ou uma mulher de Deus é uma questão de ser humilde e honesto(a) sobre o nosso pecado e de aceitar a graça e o crescimento que Deus nos dá. John Powel disse o seguinte: “Achamos que temos que mudar, crescer e ser bons para sermos amados. Mas, em vez disso, somos amados e recebemos a graça de Deus para que possamos mudar, crescer e ser bons.” O único limite para a cura em nossas vidas é o quanto estamos dispostos a revelar sobre nós mesmos. Para crescer, temos de manter um compromisso com o que é verdadeiro. A graça de Deus nos dá liberdade para encarar Deus e a verdade sobre nós mesmos à luz da Palavra de Deus. Agora que sabemos que somos completamente amados por Deus, ouçamos seu chamado para irmos até ele levando tudo, a fim de que ele nos ajude a viver em liberdade (João 8.32) e a ter uma vida mais abundante (João 10.10).

Salmo 18.6 R R Soares

Na angústia, invoquei ao SENHOR e clamei ao meu Deus; desde o seu templo ouviu a minha voz e aos seus ouvidos chegou o meu clamor perante a sua face. Salmo 18.6 Na angústia, as pessoas mostram a quem servem e amam. Os perdidos se desesperam e agem de modo bobo ou absurdo. Os crentes inconstantes também entram em polvorosa; porém, os que confiam no Senhor não se abalam, ainda que os montes se movam para o meio dos mares. Por isso, vale a pena respeitar a Palavra, honrar o ministério dado por Deus e não se dobrar ante as tentações. Davi estava preso por correntes de impiedade, que vieram e o enlaçaram de uma hora para a outra. Porém, como conhecia o Onipotente, ele O invocou e foi atendido. Todos os chamados para compor a família de Deus devem estar em comunhão com Ele, porque, quando o inimigo surgir, eles poderão abrir a boca e clamar pelo Senhor. Assim, no mesmo instante, eles O terão ao Seu lado com todo o Seu poder. Apenas invocar não adiantará muito; é necessário rogar ao Altíssimo do fundo do seu coração e, então, dizer aquilo de que precisa. Mas fique atento: Ele falará algo, mostrando-lhe as direções dadas aos irmãos do passado ou alguma promessa da qual você já tinha se esquecido. Ao fazer você se lembrar do que Ele lhe prometera, creia e ore a respeito. Então, quando sentir alegria, repreenda o mal. Quando o salmista diz: Desde o seu templo ouviu a minha voz, tomamos conhecimento do lado bom da história: o Senhor ouve e atende. Agora, fique esperto, porque você não será carregado no colo, mas terá de andar sobre as águas tumultuosas da tempestade, como Pedro fez. Ao subirem no barco, você e Jesus, a tormenta terá passado e dado lugar a um dos mais lindos quadros pintados, não pelo homem, mas pelo Senhor. A linda declaração de Davi – Aos seus ouvidos chegou o meu clamor perante a sua face – mostra-nos que precisamos ficar olhando a face do Altíssimo (a revelação da Palavra) para sentirmos o nosso clamor chegando a Ele. O resto é obra divina, e quem foi arregimentado pelo diabo logo ficará como “baratas tontas”, sumindo da nossa presença. O que Davi descreve nos versículos seguintes é digno de ser apreciado. Depois que o clamor alcança o Senhor, as respostas vêm. Da parte dEle o que você passou nunca o teria visitado, pois, ao ficar distante dEle, você se abriu ao impiedoso e peçonhento inimigo. Agora, que a liberdade chegou, corte os laços de infidelidade, mundanismo e traição que o haviam amarrado. Se não fizer isso, outras provas iguais ou piores lhe sobrevirão. Não se assuste com que o Pai fará. Ao abrir a porta para Ele operar, você verá o quanto Ele o ama. Deus prometeu ser inimigo dos seus inimigos; por isso, os demônios que o atacam, bem como as pessoas que se deixaram usar por eles, serão duramente castigados. No entanto, ore pelos fracos que agiram como servos do diabo. Em Cristo, com amor, R. R. Soares

Bom dia! LiteraturadeCristo.blogspot.com

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Provérbios 1:14

Provérbios 1:14 Lança a tua sorte entre nós; teremos todos uma só bolsa. A união nada é sem a aprovação de Deus! Na realidade, é uma traição execrável, a não ser que os princípios santos a governe! Os pecadores desejam que os santos os aprovem e que se unam aos seus projetos, mas o SENHOR Deus exige que os seus filhos evitem e rejeitem uma convivência íntima. Pecadores fazem grandes apelos de cooperação e de amizade, mas os seus corações buscam objetivos bem diferentes. Salomão aqui adverte o seu filho, e a todos os homens jovens, para resistirem à pressão dos seus pares constituídos por homens pecadores. Veja os comentários de Provérbios 1:10 (Pv 1:10-19). Os objetivos deles é roubo e assassinato, e a destruição deles é um fim certo. Jovens que temem a Deus devem ficar longe deles e rejeitarem todos os apelos para que se unam a eles. Andando com a patota é prática contrária à santidade! Comunhão e sociedade com os santos piedosos são bons e gloriosos, mas é horrível quando os santos se unem em desigualdade com os incrédulos! Comunhão e unidade nas igrejas de Cristo é uma grande bênção, mas com os pecadores é abominável. Mas, alguns homens com fraqueza de caráter não resistem ao convite e as pressões dos ímpios para se unirem a eles. Josafá foi um desses. Um neto de Davi e rei de Judá, ele não conseguia resistir aos convites de Acabe, rei de Israel, para desenvolverem planos em conjunto e casamentos entre membros das suas famílias (IICr 18:1-3). O que diz o Senhor (IICr 19:2)? A Torre de Babel foi o primeiro esforço desenvolvido para unir a terra, mas o SENHOR colocou um basta ao trabalho e confundiu os seus habitantes! Glória! No mesmo local, quase dois mil anos mais tarde, Nabucodonosor fez uma tentativa de ecumenismo religioso, mas três homens fiéis não aceitaram comprometer a verdade o que deixou a festa religiosa de cabeça para baixo! Ó glória! A religião de Jesus é, primeiramente, pura e então pacífica (Tg 3:17). Não inverta a sagrada ordem! Os santos só estão em paz quando a pureza é exaltada - pureza da verdade e da justiça. "Saia do meio deles" é o grito santo dos apóstolos e dos anjos (IICo 6:14-17; Ap 18:4). As mais altas bênçãos e comunhão com Deus exige isto (IICo 6:16 a 7:1). Não há paz onde a pureza foi sacrificada, a não ser a paz da morte (Pv 21:16). Moisés deixou os prazeres e as riquezas do Egito pelas aflições e o opróbrio de Jesus Cristo e do povo de Deus (Hb 11:24-27). Você conseguiria fazer uma escolha assim? Você faria uma escolha dessas? Há conforto e recompensa, e há o louvor de homens e de segurança humana, ao permanecer na casa de Faraó. Mas a grande recompensa - as riquezas de Cristo e a nossa herança eterna que encontramos Nele - só é encontrada em Canaã, com uma vida separada.