AdSense

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Perseguição religiosa na Colômbia

LÍDERES RELIGIOSOS NEGOCIAM RESGATE DE SEUS PRÓPRIOS FILHOS
O governo colombiano tem feito vários acordos de paz com as FARC



O que você faria se o seu filho fosse raptado por guerrilheiros? Muitos pastores têm a perigosa tarefa de negociar com estes grupos violentos tanto pelos seus filhos quanto pelos filhos de alguns membros da igreja. O pastor Mauricio, que vem de uma vila tomada por gangues criminosas e grupos paramilitares, foi para um desses grupos na tentativa de negociar seu próprio filho. Ele estava plenamente consciente de que poderia ser morto.

Antes de se apresentar ao comandante do grupo, ele e seus amigos oraram bastante. Numa breve conversa, lhe foi permitido resgatar o filho de 15 anos de idade, com uma condição: eles teriam que deixar a vila. Mauricio concordou e mudou-se dentro de poucos dias e embora estejam mais seguros, a família ainda tem medo, além disso, o filho ficou gravemente traumatizado pela experiência.

Alguns se perguntam se esse tipo de situação um dia terá fim. O governo colombiano tem feito vários acordos de paz com as FARC (Forças Armadas Revolucionárias Colombianas), que é considerado o maior grupo guerrilheiro do país, há mais de dois anos. No início deste ano, as FARC concordaram em não recrutar crianças com idade inferior a 17 anos, o que parece ter sido um grande passo, mas ao mesmo tempo, muitos cristãos relatam que eles continuam sequestrando as crianças mais novas.

Na Casa Abrigo Visão Ágape, a equipe educa, ama e cuida das crianças que são encaminhadas para lá. Algumas ainda estão muito traumatizadas, mas o objetivo é tratar dessas crianças através da Palavra e mostrar que, apesar de tudo, eles agora têm amigos de verdade e fazem parte da grande família de Deus. As crianças estão sendo ensinadas a confiar em Jesus.

A Portas Abertas lançou recentemente uma campanha de cartões e cartas para encorajar as crianças da Casa Abrigo Visão Ágape. Ainda dá tempo de participar. Saiba mais no site.

Fonte: Portas Abertas Internacional