AdSense

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Notícia boa para fechar o ano glorificando a Deus!

Bebê morre e, uma hora depois, após oração, Deus o ressuscita
Mensageiro da Paz (Janeiro/ 2016)

29/12/2015 - 17:07

Letícia Martins, filha do casal Saulo e Jaqueline Martins, membros da Assembleia de Deus Philadelfia, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro (RJ), veio a óbito quando tinha apenas um ano e dois meses de idade. Após uma bronqueolite severa que não respondia a nenhum tratamento, a bebê teve uma parada cardíaca que durou quase uma hora. Mas, após oração, foi completamente restabelecida. Letícia é um milagre do Senhor. O sofrimento dessa família começou no dia 27 de março de 2014, quando Letícia foi para a emergência do Hospital Rios D’Or com o quadro de bronqueolite grave. Por ser um problema relativamente comum em bebês, ninguém imaginava a tamanha luta que estava por vir. Sem explicação, o organismo da pequena Letícia não respondia a nenhum tratamento.

A equipe médica decidiu colocá-la em ventilação de alta frequência, uma técnica utilizada na pediatria em casos extremos de bronqueolite e insuficiência respiratória, mas, ainda assim, não houve resposta alguma. E quase um mês após a internação, Letícia e seus pais viveram o ápice do drama quando, já com a respiração muito debilitada pela bronqueolite, a bebê teve uma parada cardíaca. Imagine o coração desses pais ao ver que sua filha entrará morta na UTI e lá permanecer por uma hora. Saulo e Jaqueline recordam: “Era horário de visita e a Letícia parecia estável. Até que os médicos pediram que nos retirássemos.

Percebemos que algo estava errado e quando já tinham passado 20 minutos da nossa filha morta, nos avisaram o que ocorrera e que haviam feito todo o possível”. Segundo o casal, os psicólogos responsáveis por dar suporte aos parentes que perdem entes queridos já estavam na sala os procurando, mas eles não deixaram de crer no Deus Todo-Poderoso. “Começamos a orar com alguns parentes e irmãos que estavam lá para a visita. Erguemos a Deus um clamor com toda fé. Sobrenatural! Logo depois, uma das médicas saiu da UTI e disse algo que nunca vou esquecer: ‘Eu não sei o que vocês estavam fazendo aqui fora, mas funcionou lá dentro. Após mais de 50 minutos, já tínhamos feito de tudo e quando não havia mais nada a fazer, sua filha voltou à vida, inexplicavelmente. A gente reconhece que não é mérito nosso’”, testemunha Saulo, emocionado.

Segundo o coordenador da UTI do Hospital Rios D’Or, que acompanhou o caso desde o início, Dr. Lucas Pulcheri, Letícia ainda é alvo de um segundo milagre: “A gente sabe que paradas cardíacas com mais de 10 minutos têm um índice de lesões neurológicas muito elevado, principalmente em pediatria. No caso da Letícia, foram mais de 50 minutos de massagem cardíaca e procedimentos de ressuscitação cardiopulmonar constantes e no entanto ela não ficou com seqüela alguma”, diz. Após esses milagres, a menina ainda foi submetida ao tratamento de oxigenação extracorpórea (foto). O ECMO (sigla em inglês do procedimento) é um procedimento extremamente delicado, em que é colocada uma cânula na veia jugular interna, outra na artéria e o sangue é bombeado para fora do corpo e oxigenado através de uma membrana de oxigenação, de onde é jogado novamente para dentro do corpo. Esse tratamento é de uma complexidade tamanha que, segundo a equipe médica do hospital, Letícia foi o primeiro caso e respiração extracorpórea pulmonar bem-sucedido no Estado do Rio de Janeiro. Esse tratamento nunca havia funcionado.

“O Senhor nos deu nossa filha duas vezes. Ele trouxe nossa filha de volta à vida. E nós sabemos que Deus tem propósitos para todas as coisas. Passamos pelo vale da sombra da morte, mas o bom pastor não nos deixou passar sozinhos!”, glorificam os pais. No próximo mês, Letícia fará três anos e está em perfeito estado de saúde. Mas, em adoração a Deus e gratidão pelo carinho da equipe médica, seus pais retornam àquele hospital semanalmente. É que Saulo e Jaqueline dão continuidade a um trabalho de oração que começaram com a participação de cinco pais desde quando sua filha ficou internada. Hoje, quase dois anos depois, esse ministério continua e já tem mais de 30 participantes. São inúmeros testemunhos, milagres, diagnósticos transformados pelo poder do Espírito Santo e muitas vidas sendo salvas para Jesus. Inclusive, a de pais que presenciaram a ressurreição da Letícia no dia 14 de abril de 2014.

Mensageiro da Paz - Número 1568 - Janeiro de 2016, CPAD


quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Notícias de Portas Abertas

Menina cristã é adotada após sofrer maus tratos
24 dez 2015UGANDA
O pai muçulmano não permitiu que a filha se convertesse ao cristianismo


Hadija conheceu a igreja com apenas cinco anos de idade, mas perdeu a mãe aos sete e foi impedida pelo pai de continuar frequentando os cultos. Mas ela arrumou uma forma de continuar seus encontros com Deus, aos domingos, até o pai descobrir. Quando ele soube, passou a bater na menina e também a negar comida para ela. Os irmãos da igreja perceberam que havia algo errado, então se reuniram para ajudá-la.

Mellina, uma mulher cristã de 33 anos, passou a rodear a casa de Hadija e testemunhou seu sofrimento. "Eu fiquei intrigada com a aparência dela, sempre estava machucada. Partiu meu coração o dia em que ouvi seu pai a espancando e o quanto ela chorava. Os gritos dela não saíam da minha cabeça, então eu entrei na casa, agarrei a menina e saímos correndo dali. O pai dela estava bêbado e nos ameaçou com uma faca, dizendo que ia incendiar a igreja. Eu fiquei muito assustada, mas eu fui até a polícia e o denunciei", conta a cristã.

Por precaução, a mulher escondeu a menina por alguns dias. "O pai dela nos encontrou, e eu pensei que ele iria nos matar, mas em vez disso ele apenas declarou que ela estava morta para ele, e que não era mais sua filha, cuspindo no chão para confirmar sua maldição. A polícia tomou as medidas legais e agora eu vou adotá-la", diz Mellina. O pai de Hadija é alcoólatra, teve sérios problemas de saúde e agora está acamado. Alguns meses se passaram, e as duas foram visitá-lo. Ele foi perdoado, seu ódio passou e ele pediu para Mellina cuidar bem da filha. "Agora eu só quero que meu pai pare de beber e abra o coração para conhecer o amor de Jesus", conclui a garota.

Pedidos de oração

Atualmente, Mellina luta para sustentar a menina e financiar seus estudos. Ore para que ela tenha prosperidade e para que dê tudo certo no processo de adoção.
Hadija quer ser enfermeira para fazer partos das mulheres de Uganda. Peça para que Deus a encaminhe, dando sabedoria e estratégia em todo o tempo.
Ore para que Mellina e Hadija permaneçam firmes nos caminhos do Senhor, e que Hadija realize seu sonho de ser pastora quando crescer.
Peça a Deus para que o pai de Hadija conheça o amor de Cristo e que abra o coração para a Palavra de Deus.

domingo, 20 de dezembro de 2015

A Circuncisão

Circuncisão

Circuncisão, exérese do prepúcio, peritomia ou postectomia é uma operação cirúrgica que consiste na remoção do prepúcio, prega cutânea que recobre a glande do pênis. Essa remoção é praticada há mais de 5 mil anos. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 30% dos homens no mundo são circuncidados (algo em torno de 665 milhões de homens), a maioria por motivos religiosos, uma vez que 68% deles são muçulmanos.

O Programa de Combate a AIDS da Organização das Nações Unidas (ONU) defende que a circuncisão reduz o risco de contágio do HIV, no caso de cópula vaginal, mas também afirma que o uso do preservativo é indispensável.

Depois do corte do cordão umbilical – onfalotomia – a circuncisão talvez seja o mais antigo tipo de cirurgia.[carece de fontes] O termo circuncisão deriva da junção de duas palavras latinas, circum e cisióne, e significa literalmente «cortar ao redor». Atualmente, a circuncisão masculina ainda é praticada como ritual religioso e também social por vários povos, como judeus e muçulmanos. No século XIX e em princípios do século XX, no mundo ocidental, a circuncisão médica tinha em muitos casos como motivação principal a prevenção da masturbação, pois o prepúcio é um tecido erógeno. A partir de meados do século XX, a circuncisão tornou-se uma prática médica vulgar, especialmente nos Estados Unidos, onde se estima que entre 20 e 80% dos homens sejam circuncidados. No entanto, a sua frequência reduziu-se progressivamente, pois hoje a prática regular de hábitos de higiene genital, que têm o mesmo efeito da circuncisão, tornou-se cada vez mais comum.

Origens e fatores culturais da circuncisão

Um motivo possível para o início da circuncisão masculina era a distinção entre povos. Em muitas culturas, a circuncisão no início da puberdade é encarada como um ritual de passagem - marcando o início da adolescência e a entrada do rapaz na vida adulta. Serve ainda como um sinal identitário permanente, como prova de iniciação num grupo social ou religioso.

A circuncisão na cultura judaica

Embora alguns acreditem que os hebreus tenham assimilado a prática da circuncisão dos egípcios, não há sinais consistentes que apoiem essa teoria. O mais provável é que os próprios hebreus tenham, em suas raízes mais remotas da época patriarcal, inserido tal prática em seus costumes de maneira independente a quaisquer outros povos, mantendo a tradição em suas práticas religiosas até à presente época.

No Antigo Israel, a circuncisão tinha de ser realizada no 8.º dia do nascimento. Tem o sentido de um sinal da aliança entre Deus e Abraão e seus descendentes e de um rito de inserção no povo eleito. Deus terá tornado obrigatória a prática da circuncisão masculina para Abraão, um ano antes de nascer Isaque. Todos os homens da casa de Abraão, tanto seus descendentes como dependentes, estavam incluídos, e todos os escravos receberam em si este «sinal do pacto», com o qual entregavam a Deus a sua aliança de carne (anel prepucial), mostrando a reciprocidade deste ato de fé no corpo (Levítico).

A desconsideração deste requisito era punível com a morte. A circuncisão torna-se um requisito obrigatório na Lei dada a Moisés (Levítico 12:2-3). Isto era tão importante que, mesmo que o 8.º dia calhasse no sabá, a circuncisão teria de se realizar. No primeiro século da Era Cristã, era costume social entre os judeus dar nome ao recém-nascido do sexo masculino no momento da circuncisão. Mas os profetas do Antigo Testamento mostravam que mais importante do que a circuncisão literal é a circuncisão figurativa ou «circuncisão do coração» (Deuteronômio 10:16; Deuteronômio 30:6; Jeremias 4:4; Jeremias 9:25). Aos judeus insensíveis às palavras dos profetas chama-se figurativamente «incircuncisos» (Jeremias 6:10; Atos 7:51).

Influência da cultura grega Editar
A influência da cultura grega começou a predominar no Médio Oriente e culminou no abandono da circuncisão por muitos povos. Mas, quando o rei sírio Antíoco IV Epifânio proscreveu a circuncisão, deparou-se com mães judias dispostas antes a morrer do que a negar aos seus filhos o «sinal do pacto». Anos mais tarde, o imperador romano Adriano (117-138) obteve a mesma reação quando proibiu aos judeus circuncidar seus recém-nascidos. No intuito de evitar zombaria e ridículo, alguns atletas judeus que desejavam participar nos jogos helenísticos procuravam tornar-se «incircuncisos» por meio de uma operação destinada a restabelecer certa semelhança de prepúcio.

Sempre no oitavo dia
«Com base na consideração das determinações de vitamina K e de protrombina, o dia perfeito para se realizar uma circuncisão é o oitavo dia» (citação de «Nenhuma Dessas Doenças», Dr. S. I. McMillen, 1986, pág. 21, em inglês). Seguir esta regra ajudava a evitar o perigo de uma grande hemorragia. A circuncisão era usualmente feita pelo chefe de família. Mais tarde, passou-se a recorrer a uma pessoa especialmente preparada. Um mohel, no caso dos judeus, geralmente um médico, circuncidador, ou então uma pessoa que tenha conhecimento da cirurgia, e das rezas realizadas, no processo. Deus instituiu este ato para distinguir o seu povo de outros povos, sendo que o homem deveria obedecer ao mandado Dele. Uma outra interpretação aponta para uma prática de higiene, para poupar o povo a doenças indesejáveis, tornando-a uma prática de fé.

A circuncisão de Jesus
Ver artigo principal: Circuncisão de Jesus

A circuncisão de Jesus.
De acordo com a Bíblia, completados os oito dias que determina a tradição judaica, Jesus Cristo foi apresentado ao templo de Jerusalém por sua família para ser circuncidado, quando então foi abençoado por Simeão e Ana. O prepúcio retirado de Jesus é conhecido como prepúcio sagrado. Considerado uma relíquia ao longo da história, sua posse foi reclamada ou contestada por diversas igrejas e catedrais. Há vários milagres e poderes atribuídos a esta relíquia, muito cobiçada no período medieval.

A circuncisão e o cristianismo
Com a fundação do Cristianismo, a circuncisão deixou de ser um requisito religioso obrigatório para os judeus cristãos, embora não fosse expressamente proibida (Atos 15:6-29). A perspetiva da Igreja Católica é contrária à circuncisão (rito judaico) desde os primeiros dias. Conforme o Papa Eugênio IV oficializou na Bula de União com os Coptas, de 1442, a Igreja manda a todos os seus fieis que «…não pratiquem a circuncisão, seja antes ou depois do batismo, pois, ponham ou não sua esperança nela, ela não pode ser observada sem a perda da salvação eterna.

Circuncisão como medida profilática


Circuncisão no mundo.
Os defensores da circuncisão afirmam que existe um valor prático na circuncisão masculina, como ato médico[carece de fontes]. Como medida de higiene, há quem defenda que é útil para impedir a acumulação de uma secreção genital chamada esmegma, no espaço entre a glande e o prepúcio que a recobre[carece de fontes]. Se não for removido, o esmegma torna-se mal cheiroso e campo de cultivo de bactérias, que causam grande irritação e são foco de infeções[carece de fontes]. É realizada em certos casos de fimose e parafimose ou quando a glande masculina não pode ser libertada. Para estes últimos casos, existe, como alternativa à circuncisão, uma terapia local de creme esteroide que parece ser eficaz; e, mesmo quando esta falha, há ainda a prepucioplastia, uma cirurgia que corrige o prepúcio sem o remover.

No entanto, estudos recentes mostram que a circuncisão pode ajudar a prevenir infeções nos rins e nas vias urinárias. Outros estudos mostram que os homens incircuncisos têm mais probabilidade do que os circuncidados de contrair infeções por via sexual, inclusive o vírus do HIV. Aponta-se, como possível motivo, que o prepúcio proporciona um ambiente tépido, úmido, que dá ao agente infecioso mais tempo de sobrevivência e oportunidade para infiltração no organismo. De acordo com notícia publicada no site do jornal brasileiro Folha de S. Paulo, os casos de infeção caíram 50% em teste na África e foram interrompidos os estudos após o benefício se mostrar tão evidente. Por se tratar de uma proteção parcial, não se dispensa o uso do preservativo.


Excessivamente longo prepúcio pode ser uma indicação para a circuncisão.

Circuncisão de adultos

Os médicos especialistas recomendam a circuncisão de adultos quando estes sofrem de fimose. No entanto, devido à maior complicação que esta circuncisão pode representar, é recomendável que os pais detectem a fimose no rapaz ainda criança, para que ela possa realizar-se mais cedo.

A circuncisão de adultos pode ser mais dolorosa do que em crianças por uma série de fatores. O primeiro é que, no pós-operatório, as ereções nocturnas (normais e saudáveis num homem adulto) podem tornar-se muito dolorosas até à retirada dos pensos e dos pontos da sutura . O segundo é que os adultos demoram mais tempo a habituar-se à condição de circuncidados, podendo ter que mudar de hábitos no que toca à roupa interior ou aos calções de banho.

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Aniversário

O mês de dezembro é o mês de aniversário do blog LiteraturadeCristo.Blogspot.com, ultrapassamos a marca de 8 mil visualizações para honra e glôria do nosso Deus, com o objetivo de evangelizarmos com a Palavra de Deus através de mensagens edificantes, músicas para adoração ao nosso Deus e notícias, estamos chegando a mais um final de ano, por isso quero desejar a todos boas festas e que 2016 seja um ano abençoado e de muitas maravilhas de Deus em nossas vidas.
Deixarei estes versículos para vossa meditação:
Ap. 3.10,13: Como guardastes a Palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra.
 Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa.
 A quem vencer, eu o farei coluna do templo do meu Deus, e dele nunca sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, do meu Deus, e também o meu novo nome.
Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.


quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

A Igreja que evangeliza

"Ora, na igreja em Antioquia havia profetas e mestres, a saber: Barnabé, Simeão, chamado Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, colaço de Herodes o tetrarca, e Saulo. Enquanto eles ministravam perante o Senhor e jejuavam, disse o Espírito Santo: Separai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado. Então, depois que jejuaram, oraram e lhes impuseram as mãos, os despediram".

INTRODUÇÃO

A igreja naquele momento vivia o chamado para sair, os sinais de poder.
É o momento da evangelização. Cheios do Espírito Santo, vivendo o 1º amor.
A obra é a mesma e vive as mesmas experiências que os nossos irmãos da igreja primitiva viveram, caminhamos na revelação, obedecendo a tudo que o que o Senhor tem revelado.

DESENVOLVIMENTO

Servindo eles ao Senhor - onde? No Corpo

Jejuando e Orando - usando os Meios de graça

Disse o Espírito Santo: O Espírito Santo orienta quanto ao projeto, como fazer, como sair. Está é a obra que estamos vivendo.

Só tomamos atitude através da revelação do Espírito Santo.

O Senhor falou a Paulo e aos seus servos várias vezes por visão, pelos dons. A igreja sai a evangelizar, faz o
trabalho por que temos ouvido a voz o Senhor.

CONCLUSÃO

Pondo sobre eles a mão: A obra é vitoriosa na evangelização, nos atos de justiça, na salvação; as experiências estão no meio de um povo fiel que vive a doutrina.

As mãos do Senhor são a certeza da vitória em tudo.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Por que me chamais?

– E por que LC me chamais: Senhor, Senhor, e não fazeis o que eu vos digo? MT Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor, entrará no Reino dos Céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos Céus. Muitos me dirão naquele Dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu Nome? E em teu Nome não expulsamos demônios? E em teu Nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade.
Notas do Autor: LC 6:46; MT 7:21-23
POR QUE ME CHAMAIS: SENHOR, SENHOR, E NÃO FAZEIS O QUE EU VOS DIGO? Somente pode chamá-lO de “Senhor” quem dEle se faz servo. E “servo” não é apenas aquele que até O reconhece e O chama de Senhor, mas aquele que faz o que Ele diz. O próprio Jesus, como homem, se fez servo de Deus. Ele disse: “Porque eu desci do Céu, não pra fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou” (Jo 6:38). E nos deu o Seu exemplo. Todos os Seus atos e palavras aqui na Terra foram sempre em obediência fiel à vontade do Pai: “A minha doutrina não é minha, mas Daquele que me enviou. Se alguém quiser fazer a vontade de Deus, há de saber se a doutrina é dEle, ou se falo por mim mesmo. Quem fala por si mesmo busca a sua própria glória. Mas o que busca a glória Daquele que o enviou, esse é verdadeiro, e nEle não há injustiça” (Jo 7:16-18). Até o fim, o servo faz a vontade do Seu Senhor, tal e qual o Senhor Jesus que, na véspera da Sua Morte, podendo escapar, orou a Deus, dizendo: “Pai, se queres, afasta de mim este cálice. Todavia não se faça a minha vontade, mas a Tua” (Lc 22:42).
E EM TEU NOME NÃO FIZEMOS MUITOS MILAGRES? Depois de ressuscitado, o Senhor Jesus disse: “E estes sinais seguirão aos que crerem: em meu Nome expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e estes serão curados” (Mc 16:17-18). O Nome do Senhor Jesus é poderoso e é o Nome mais temido no Inferno, respeitado na Terra e adorado no Céu. Ao Seu Nome todas as coisas, visíveis e invisíveis, se sujeitam. Para que você tenha uma ideia do Poder do Senhor, veja o que está escrito no livro de Apocalipse: “E olhei, e ouvi a voz de muitos anjos ao redor do trono e dos seres viventes e dos anciãos. E o número deles era milhões de milhões e milhares de milhares, que com grande voz diziam: Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória e louvor. Ouvi também a toda criatura que está no Céu, e na Terra, e debaixo da terra, e no mar e a todas as coisas que neles há, dizerem: Ao que está assentado sobre o trono e ao Cordeiro, seja o louvor, e a honra, e a glória, e o domínio pelos séculos dos séculos” (Ap 5:11-13). Quando o Nome do Senhor Jesus é usado com fé, o Inferno estremece, os demônios caem por terra, as doenças desaparecem e maravilhas acontecem. A pessoa que usa o Nome do Senhor com fé e vê tudo isto acontecer, acaba achando que tudo isto ocorre por causa da sua própria virtude e santidade. Mas o mérito por todos os sinais e prodígios é todo do Nome do Senhor Jesus – o Fiel Servo de Deus. O apóstolo Pedro, ao curar um paralítico de nascença, olhou para a multidão que o idolatrava e disse: “Varões israelitas, por que vos maravilhais disto? Ou, por que olhais tanto para nós, como se por nossa própria virtude ou santidade fizéssemos andar este homem? O Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, o Deus de nossos pais, glorificou a Seu Filho Jesus, a quem vós entregastes e perante a face de Pilatos negastes, tendo ele determinado que fosse solto. Mas vós negastes o Santo e o Justo e pedistes que se vos desse um homem homicida. E matastes o Príncipe da Vida, ao qual Deus ressuscitou dos mortos, do que nós somos testemunhas. E, pela fé no seu Nome, fez o seu Nome fortalecer a este que vedes e conheceis; e a fé que é por Ele deu a este, na presença de todos vós, esta perfeita saúde” (At 3:12-16). Todo o mérito por sinais, prodígios e maravilhas operados por homens na Terra pertence unicamente ao Nome de Jesus!
NUNCA VOS CONHECI. Muitos ficarão surpresos naquele Dia: “Senhor, deve estar havendo algum engano. Sou eu”. Então Ele dirá: “Apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade” (Mt 7:23b).




Por Juanribe Pagliarin

















terça-feira, 8 de dezembro de 2015

A grande salvação

A grande Salvação é fruto de um Grande Acontecimento que é Eterno.

* Eternidade é conhecimento de um tempo que não se vê - FÉ.
* É o sair da Morte para a Vida.
* A Salvação atinge a todos, de todas as maneiras dentro do projeto de Deus (milagres, maravilhas e Dons do Espírito Santo).
* É Grande porque vai nos levar para a Eternidade através da ressurreição.

A salvação acontece dentro de um plano profético, com três atos distintos:

1º - AMOR

Nós falamos do Amor de Deus, não porque somos bons ou melhores, mas porque ele nos amou, sendo nós pecadores.
O Senhor estendeu a mão a um povo rebelde.
A religião tira o senso de gratidão do homem a Deus, quando substitui a fé pelas obras humanas, mudando assim o Projeto de Deus.

Qual a forma de expressar o Amor?
Deus substitui a maldição que estava sobre nós pelo seu Filho, entregando-o à cruz como forma de pagamento pêlos nossos pecados.

2º - O REMIDOR

* No tempo dos Patriarcas, após Israel ter recebido a terra prometida, Deus estabeleceu a divisão da terra.

* A primeira divisão foi entre as doze tribos de Israel.
Depois entre as famílias e por fim a cada indivíduo.

* Ficou estabelecido que, em caso extremo, o herdeiro e dono da terra podia vendê-la.
Isso só ocorreria em caso de estrema pobreza, quando a pessoa não tivesse mais nada.

* A venda do bem ficava com o comprador por um determinado tempo, podendo ser resgatado por um parente, que seria o remidor.
Este pagava o preço devido e resgatava a herança, devolvendo-a em seguida ao seu dono.

* NABOTE foi um exemplo: Ele recebeu uma vinha (herança), mas não se desfez dela, mesmo com ameaças de morte.

* O filho pródigo também recebeu uma herança, só que seu pai ainda era vivo.
Ele vendeu tudo, e se tivesse outro bem venderia também.

* Para ser Remidor era preciso ter amor - Era preciso ser parente, pois após o resgate da herança, ela teria que ser devolvida ao herdeiro.

* Na figura do remidor o cidadão podia perder a herança a qualquer tempo, como podia recuperá-la.

* Novo Ano é uma nova etapa na caminhada do Servo e daqueles que aceitarem ao Senhor a partir desta data ou deste dia.

* Fostes comprados por bom preço, por isso glorifica a Deus.
“O preço do resgate da herança - O SANGUE DE JESUS”

* Todo homem passou por esse processo.
Desfez-se do seu bem maior, sua herança na Pátria Celestial (Eternidade)
E o nosso parente verdadeiro, nosso Pai na eternidade, resgatou nossa herança através do Remidor Jesus Cristo
(O Rei é nosso Parente).

* A figura do Remidor está no Amor, na Revelação e na Graça.

3º POR QUE TÃO GRANDE SALVAÇÃO?

Porque é sustentada pelo Senhor com sinais e grandes Operações de Maravilhas na vida dos servos.
Ações poderosas do Espírito Santo com Dons e a Ministração dos Anjos.
O grande Sinal é o NOVO NASCIMENTO.

Exemplo: Conhecer o valor da Salvação no Ato e muito mais no Processo.
Ato - No dia em que aceitei ao Senhor.
Processo - Na santificação diária, através da obediência às revelações que têm vindo da parte do Senhor.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Nosso Amor a Cristo

A Regulação Correta de Nosso Amor a Cris­to, por Ralph Erskine

Vejam aqui a regulação correta de nosso ­amor a Cristo, isto é, ama-lO­ como o Pai O amou. No que o nosso amor ­a Cristo deve assemelhar-se ao amor do P­ai? Porque, o amor do Pai ao Filho foi e­videnciado ao escolhê-lO­ para ser nosso Salvador e Fiador [Hebre­us: 7:22]: então, o nosso amor a Cristo ­deve ser demonstrado em escolhê-lO­ para ser nosso Salvador e Fiador; de ta­l forma que, como o Pai depositou todo ­o nosso auxílio nEle­, assim devemos depositar todo o nosso s­ocorro onde Deus o colocou.

Novamente, o amor do Pai ao Filho foi ev­idenciado em entregar todas as coisas em­ Sua Mão: assim, o nosso amor a Cristo d­eve ser evidenciado em colocar todas as ­coisas em Sua Mão, como o Pai o fez; e p­articularmente vocês devem depositar os ­seus corações em Sua Mão, para que Ele p­ossa guarda-los; coloquem suas almas em ­Sua Mão, para que Ele possa salvá-los; e­ntreguem as suas enfermidades em Sua Mão­, para que Ele possa sará-los; lancem as­ suas corrupções em Sua Mão, para que El­e as enfraqueça e domine-as.