AdSense

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Notícias cristãs

Confeiteiros cristãos condenados por recusarem bolo a homossexuais quitam a indenização
Justiça determinou que os empresários cristãos pagassem US$ 135 mil de indenização

Fonte: Gospel Mais | 04/01/2016 - 14:30


Os empresários cristãos que haviam sido condenados a indenizar um casal homossexual, por se recusarem a fazer um bolo de casamento por questões de fé, quitaram os US$ 135 mil determinados pela Justiça.

Aaron e Melissa Klein precisaram fechar sua confeitaria, Sweet Cakes By Melissa, depois que o casal de lésbicas moveu a ação e venceu na Justiça. Eles haviam alegado que estavam pondo em prática a crença de que o casamento é a união de um homem e uma mulher.

Na última semana, eles entregaram um cheque de US$ 136.927,07, cobrindo a indenização e os juros acumulados desde que a sentença foi emitida.

Inicialmente, Aaron e Melissa disseram que não pagariam a indenização por falta de condições financeiras, já que precisaram fechar sua confeitaria, que enfrentou um grande número de hostilidades e cancelamentos de encomendas.

Uma iniciativa popular criou uma campanha de arrecadação de fundos e levantou doações de US$ 100 mil, mas os responsáveis pela plataforma GoFundMe bloquearam os valores. O pastor Franklin Graham, dentre outros líderes cristãos, se mobilizaram para tornar o caso conhecido, e outra campanha foi realizada, arrecadando US$ 515 mil.

“Deem um tempo! Na minha opinião, este casal [homossexual] é quem deve pagar US$135 mil aos Klein por tudo o que já passaram”, escreveu Graham em sua página no Facebook, em julho.

O casal cristão chegou a enfrentar severas dificuldades financeiras, e o ex-empresário revelou, na mesma época, que precisou aceitar um trabalho como gari para ajudar a pagar as contas domésticas, de acordo com informações do Christian Post.

Segundo o advogado dos Klein, a quitação do valor determinado pela Justiça não representa desistência da ação de apelação, mas apenas uma estratégia para reduzir a incidência de taxas de juros maiores, equivalente a US$ 35 diários, o que faria com que os valores doados ao casal fossem diluídos.

“A coisa prudente a fazer, dada a generosidade das pessoas que contribuíram com o fundo, era cuidar dele e continuar a luta”, afirmou Tyler Smith.