AdSense

sábado, 30 de abril de 2016

Dica de leitura :

O Contrabandista de Deus

Quando era garoto, Irmão André gostava de brincar, imaginando-se um espião em território inimigo. O que ele não podia sequer imaginar é que bem mais tarde se tornaria um "agente secreto de Deus" com uma difícil missão: levar Bíblias para os cristãos das igrejas perseguidas pelo regime comunista, na Rússia e nos países da Europa, na década de 50.

Embora fosse impossível para um missionário cristão passar pela "Cortina de Ferro", André sabia que para Deus não havia impossibilidades. Ao ter de atravessar a fronteira de algum país, com sua mala e seu "fusca" cheios de Bíblias, folhetos e material impresso, ele orava assim: "Senhor, na minha bagagem há Escrituras que desejo levar para os teus filhos, que estão do outro lado desta fronteira. Quando estiveste na Terra, fizeste os olhos dos cegos ver. Agora eu peço: faze com que os olhos desses que vêem fiquem cegos. Não deixes os guardas verem as coisas que tu não queres que eles vejam". E Deus atendia sua oração.

Você vai se emocionar com o testemunho do contrabandista de Deus, marcado pelo amor à Igreja Sofredora e aos irmãos que viviam sob a repressão do comunismo. Uma história repleta de fé, coragem e ousadia, que nos inspira e desafia a sermos testemunhas fiéis do amor de Deus mesmo sob circunstâncias adversas.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Provérbios 28:8

Provérbios 28:8





O que aumenta os seus bens com juros e ganância ajunta-os para o que se compadece do pobre.




Usura é juros, que é o valor tempo do dinheiro. Mas usura pode significar juros excessivos ou injustificados. Temos aqui um uso iníquo dos juros ou outros meios imorais para tirarem vantagem financeira do pobre. Deus tirará os bens de um homem tão sem misericórdia e perverso e os dará ao homem que ajuda os pobres (Pv 22:16, 22-23).


Os juros servem um objetivo honesto como sendo o valor tempo do dinheiro. É o preço de ter dinheiro hoje e reembolsá-lo no futuro. É a recompensa por emprestar dinheiro e recebe-lo de volta algum tempo depois. Não há nada intrinsicamente errado ou imoral a respeito dos juros (Dt 23:20; Mt 25:27). Juros é o custo do capital. É o preço do dinheiro.


Numa economia estável, sem um banco central, diferente da nossa nação, as taxas de juros são consistentemente muito baixas por longos períodos de tempo. E não existindo a pressão inflacionária para se cobrar altos juros para se proteger contra o declínio acentuado do poder de compra. O medo e o risco da fraude financeira por um banco central não está presente. Os juros, geralmente, são muito baixos e os homens podem emprestar ou tomar emprestado sem uma grande preocupação pelo valor tempo.


Considere Israel. Não há um banco central ou moeda papel. O suprimento de dinheiro não podia ser manipulado de forma a causar os sobes e desces dos ciclos econômicos e a transferência da riqueza dos credores aos devedores, como ocorre em nossa nação. Eles não possuem a figura de um Banco Central.


Não havia a moeda papel em Israel. Eles estavam 3000 anos à frente do nós na proteção da integridade financeira da nação. O dinheiro deles era pesado (Gn 23:16; 43:21; Jó 28:15; Ed 8:25), qual a razão de muitos provérbios a respeito de balanças honestas (Pv 11:1; 16:11; 20:23)! Dê a glória a Deus! Cambistas em Israel convertiam moedas estrangeiras em moedas hebraicas; Jesus encontrou a inscrição de César numa moeda; e Judas O traiu por trinta moedas de prata.


Cada tribo e família tinha um significante capital livre de dívida. Pois o SENHOR lhes deu o capital ao tirá-lo das sete nações de Canaã. Ele também designou suas propriedades por herança, e que podia ser transferido de uma tribo para outra. Totalmente capitalizados em propriedades habitadas com cidades bem construídas, poços escavados e vinhedos plantados, havia pouca necessidade de empréstimos. Qualquer necessidade teria que ser uma emergência, uma exigência por um único período de produção, ou um caso de pobreza decorrente de enfermidade, morte ou outro ato de Deus.


O SENHOR tinha leis financeiras para o Seu povo e entre eles os pobres. Ele condenou a cobrança de juros aos pobres (Êx 22:25; Lv 25:35-37), pois isto poderia deixa-lo mais pobre ainda, e demonstraria um terrível espírito de cobiça e avareza. Ele também condenou a cobrança de juros a um israelita (Dt 23:19), pois a nação existia para servir uns aos outros, não tentando ser ricos à custa um do outro. Israel poderia cobrar juros de um estrangeiro (Dt 23:20), o que confirma que os juros em si mesmos não é algo imoral ou opressivo, pois não deveriam oprimir um estrangeiro (Êx 22:21; 23:9).


Além do mais, existe uma pressuposição que devemos reconhecer na Lei de Moisés que se aplica estritamente aos pobres (Dt 15:4). Os pobres deveriam receber liberalmente seus suprimentos e serem protegidos, sem levar em conta a proteção financeira (Dt 15:7-11). Conforme o Pregador ensinou em outra passagem, o espalhar pode se tornar financeiramente recompensável (Pv 11:24)!


Portanto, concluímos que a sabedoria do nosso provérbio condena a cobrança de juros aos pobres. Assumimos esta afirmação ao compararmos a Lei de Moisés com a segunda parte deste provérbio! Ela condena, ainda, quaisquer meios de tirar vantagem financeira deles, como cobranças adicionais de venda, subfaturamento em compra, atraso de pagamentos, ficando com bens dados em garantia, ou pagando salários com datas postergadas.


Quando se trata de negociar com uma pessoa pobre, você é consciencioso com respeito ao pagamento voluntário pagamento do preço de mercado? Você é generoso e cuidadoso a respeito de não considerar um pagamento a valor inferior ao de mercado? Você revela tudo que você sabe a respeito do item que você está vendendo para eles? Você evita aplicar qualquer aspecto de intimidação ou de extorsão para forçar a decisão deles?


Se a sua intenção ou motivo é de ganhar dinheiro em cima do pobre, você está profanamente errado. Só porque uma transação possa ser legal em nosso país, isto não faz com que ele seja correto. Porque uma transação financeira está no seu "preço de mercado", isto não quer dizer que está correto. Há um Deus no céu que mede e pesa todas essas tais transações. Fique atento!


Um cristão pode trabalhar em um banco onde o juro é cobrado ao povo pobre em empréstimos? Sim, pois do contrário, na maioria das profissões em nosso mundo, o ímpio seria condenado. Pode o cristão trabalhar em uma mercearia onde o vinho é vendido a beberrões? Pode um cristão trabalhar consertando telhados de escolas onde o evolucionismo é ensinado? Pode um cristão ser um hoteleiro onde uma mulher estranha exerce o seu trabalho?


O bom senso santificado é o que Provérbios quer nos dar. Se um vizinho pobre vem nos pedir um empréstimo a ser pago daí a duas semanas quando ele receber o seu salário, um homem bom lhe daria o empréstimo sem juros. Ele faria o mesmo se houvesse necessidade de consertar o único meio de transporte dele. Entretanto, se outro vizinho pobre desejasse financiar os brinquedos dos seus filhos ou começar um negócio ''passa tempo'' através de você, a cobrança de juros seria perfeitamente normal. E os ricos não precisam de empréstimos isentos de juros, especialmente em se considerando que o objetivo é o seu negócio.


Deus cuida do pobre, e Ele julgará severamente aqueles que tentar tirar proveito deles. Quando você vê a opressão em sua região, especialmente contra os pobres, existe um que é mais alto do que os opressores (Ec 5:8). Ele é o pai dos órfãos e o Juiz da viúva (Sl 68:5).


O SENHOR considera a sua maneira de tratar os pobres como se estivesse tratando Dele (Pv 14:31; 17:5). Se você tiver compaixão pelos pobres e emprestar a eles, Ele certamente lhe recompensará (Pv 19:17). Se você negligenciar os pobres, Ele o negligenciará em sua hora de necessidade (Pv 21:13; 28:27). Homens de bem cuidam dos pobres (Pv 29:7,14; 31:9,20), os homens ímpios abusam dos pobres (Pv 28:3; 30:14). Um homem que é generoso com os pobres será abençoado (Pv 11:24; 22:9; 28:27), e feliz (Pv 14:21).


Conforme nos avisa o provérbio de hoje, o homem que tira vantagem do pobre pode até prosperar financeiramente por algum tempo. Mas o SENHOR vai tirar dele o seu ganho e vai dá-lo ao homem que tem uma consideração especial pelos pobres. Jesus disse, referindo-se ao homem que não usou sabiamente do seu um talento, "Tirai-lhe, pois, o talento e dai-o ao que tem dez." (Mt 25:28) Os ricos ficam mais ricos quando temem o SENHOR!


Você acaba de receber outra regra para o sucesso financeiro. Esteja atento às necessidades dos pobres e seja generoso para com eles. Nunca pense em proteger o seu patrimônio. Dê e ser-lhe-á dado. Dê generosamente e Deus abrirá as janelas do céu para você. Espalhe o seu dinheiro e isso lhe trará incremento financeiro!


Você dá gorjetas generosas nos restaurantes, onde os pobres encontram empregos como garçons, ajudantes de garçons, lavadores de pratos? Você dá gorjetas generosas em quartos de hotéis, onde os pobres encontram emprego de arrumadeiras, faxineiras? Você sempre tem consideração para com os pobres em todas as suas transações e encontros?


O amor do dinheiro é a raiz de todo o mal (ITm 6:6-10), e amá-lo o levará a tirar vantagem dos pobres. O homem que teme ao Senhor tem disposição de distribuir seus bens e ajudar os pobres (ITm 6:17-19). E isto é evidência da vida eterna.


O nosso abençoado Senhor, O qual é dono do gado nas mil montanhas e cujas riquezas nunca poderão ser exauridas, escolheu os pobres neste mundo como objeto do Seu amor e generosidade (Tg 2:5). Vamos imitá-Lo e fazer o mesmo (Tg 2:1-10; IJo 3:16-19).

quinta-feira, 14 de abril de 2016

De Estandarte de Cristo


O Amor De Cristo Por Você, por Anne Dutton

[Cartas de Anne Dutton Sobre Temas Espirituais • The Love Of Christ To You]


Meu amado irmão no Senhor,

Eu sou uma participante de sua alegria naquelas ricas festas de amor na casa do banquete de nosso Senhor com as quais você tem sido favorecido. Ó alma feliz, como Jesus ama você! E, ainda assim, devo dizer-lhe, que Ele apenas começou a amá-lo. O amor de Cristo por você será comunicado em demonstrações mais brilhantes, de glória em glória, contemplando você através do tempo, enquanto este passa em seu círculo eterno, na posição, na majestade de Deus, o Senhor Jeová. Ó meu irmão, eu estaria arruinada se o amor de Cristo não fosse exatamente como é: um amor infinito, forte, livre, totalmente inigualável, imutável e eterno; se não fosse o amor do Senhor por uma noiva adúltera, que pelo coração idólatra olha para outros deuses, e ama os bolos de uvas. Mas, oh, a surpreendente maravilha, a lin guagem do amor do Senhor é: “E o SENHOR me disse: Vai outra vez, ama uma mulher, amada de seu amigo, contudo adúltera, como o SENHOR ama os filhos de Israel, embora eles olhem para outros deuses, e amem os bolos de uvas” (Oséias 3:1).

sábado, 9 de abril de 2016

A igreja caminha pela fé


"Pela fé Enoque foi trasladado para não ver a morte; não foi achado, porque Deus o trasladara. Pois, antes da sua trasladação, obteve testemunho de haver agradado".

Introdução:

Deus nos chamou para pertencermos a uma igreja, que se destaca pela fé; que não está firmada em conceitos humanos, porque foi gerada pelo Espírito Santo nos nossos corações. E é essa fé que nos conduzirá à eternidade.

Desenvolvimento:

Enoque: Tipo da igreja fiel, porque andou com Deus, ou seja, na revelação; Enoque significa disciplina, e ele viveu 365 anos, e da mesma forma Deus tem escolhido servos que são obedientes (Disciplinados) e que andam 365 dias do ano na sua presença.

Jarede: Pai de Enoque, significa o que veio de cima , ou seja, quem nos gerou foi o Espirito Santo, gerou em nós a fé, esta tão grande salvação.
Enoque teve um filho chamado Metuselá, que foi o homem que mais viveu na face da terra, isso nos diz que a nossa fé gera em nós um fruto, que é a vida eterna.

Conclusão:

Por viver e andar na presença de Deus, caminhando pela fé, Enoque foi arrebatado antes do JUÍZO de Deus, da mesma forma a igreja, que não verá o juízo de Deus sobre este mundo, por que já estará para sempre com o Senhor na eternidade.

sexta-feira, 8 de abril de 2016

O EI na Bósnia

Bósnia pode estar na lista do Estado Islâmico

A polícia estima que mais de cinquenta radicais islâmicos voltaram para a Bósnia, onde estão dispostos a realizar missões em nome do grupo extremista




De acordo com informações da rádio Free Europe, o Mufti Husein Kavazovic (autoridade islâmica na interpretação da sharia) da Bósnia e Herzegovina, um dos países criados após a dissolução da Iugoslávia, pediu proteção às autoridades depois de ter sido ameaçado por um suposto membro do Estado Islâmico. Após os ataques de novembro, em Paris, que ocasionou a morte de 130 pessoas, Kavazovic passou a denunciar repetidamente as ações extremistas islâmicas e a radicalização dos muçulmanos bósnios, que compõem 40% da população.

O governo bósnio reagiu e declarou que iria desfazer as alianças com os grupos muçulmanos que defendem o extremismo e que se recusam a fazer parte das organizações islâmicas pacíficas, reconhecidas pelo Estado. "Há dois grupos muçulmanos separados na Bósnia: o grupo tradicional jihad (apoiado pelo governo e liderado pelo Mufti Husein Kavazovic) e o grupo radical, que ataca aqueles que estão contra a jihad. Esse último é o resultado das atividades que a Arábia Saudita realizou no país, através de um alto investimento", explica um dos analistas de perseguição.

Além disso, a polícia estima que mais de cinquenta radicais islâmicos voltaram para a Bósnia, onde estão dispostos a realizar missões em nome de Estado Islâmico. "O islamismo radical está crescendo rapidamente por aqui. Sabemos que esse grupo está listando os países onde eles querem atuar através de forma violenta e impositiva. Há alguns sinais de que a Bósnia esteja na lista", diz o analista. Embora a Bósnia não seja um dos 50 países da Classificação da Perseguição Religiosa, ela se destaca por ser considerada por alguns especialistas como o "berço do jihadismo moderno", que de

clara uma guerra contra o Ocidente, desde a fundação do Al-Qaeda, por Osama Bin Laden, que determinou como principais alvos, ocidentais, americanos e cristãos, a fim de fazer uma limpeza étnica e expandir o islamismo mundialmente. Ore por essa nação.

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Crê no Senhor Jesus Cristo


"crê no Senhor Jesus Cristo e Serás Salvo"

Sexta-feira 1 Abril
E da mesma maneira também os principais dos sacerdotes, com os escribas, diziam uns para os outros, zombando: Salvou os outros e não pode salvar-se a si mesmo
(Marcos 15:31).
"CRÊ NO SENHOR JESUS CRISTO E SERÁS SALVO"

Normalmente as pessoas são reticentes a falar com desdém dos moribundos, pois os seus sentimentos naturais os impedem. Mas quando Jesus Cristo, o Filho de Deus, sofria dores agonizantes pendurado na cruz, Ele foi alvo do desprezo do homem.
Não eram só os soldados e as pessoas comuns que O desprezaram ali, mas, acima de tudo, os líderes de Seu povo, também. Eles tinham visto como Ele havia salvado os outros, mas eles se recusaram a aceitar que Ele tinha realizado os milagres com a autoridade e o poder de Deus. Na verdade, eles haviam atribuído tais atos aos poderes demoníacos (veja Mateus 12:24), simplesmente porque não O reconheciam como o Enviado de Deus.
Apenas algumas horas antes, o Senhor Jesus tinha levado a multidão que viera prendê-Lo a cair por terra com as palavras: "Sou eu" (João 18:5-6). Agora, aparentemente, eles O tinham em seu poder. Por que, podemos perguntar, o Senhor Jesus Cristo não fez uso de Seu próprio poder?
A resposta é: Ele quis nos salvar dos nossos pecados! Isso implicava que o Justo não só suportaria o desprezo dos homens na cruz, mas também a ira de Deus pelos nossos pecados, sacrificando a Sua vida por nós, os injustos. Isso significa que agora, por causa de Sua obra redentora consumada, o chamado vai para todos os que desejam ser libertados de sua culpa: "Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo" (Atos 16:31).