AdSense

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Provérbios 11:5





A justiça do íntegro endireita o seu caminho, mas pela sua impiedade cai o perverso.




A vida é um campo minado - com ferimentos mutilantes ou morte certa apenas a um ou dois passos de distância. Muitos passam correndo pela vida sem nenhum cuidado, disciplina ou restrição. Eles perseguem sofregamente suas ambições pecaminosas, e caem de cabeça numa vida de disfunções, destruição e morte. Mas os perfeitos, aqueles que temem e obedecem a Deus, são guiados com segurança através da vida para a vida eterna em razão de suas escolhas sábias e acertadas ao longo dos pontos de decisão na vida.


Iniciando a vida como bebês indefesos, os homens deveriam implorar por direcionamento. Eles deveriam reconhecer que encher as suas mentes vazias com idéias tiradas de outros que também começaram com mentes vazias é uma fórmula certa para o desastre. Os homens buscam a tolice e a rebelião, e encontram dor e dificuldades. Sem nenhuma consideração para com Deus ou para com os homens, eles avançam na ganância por prazer e dominância, mas terminam caindo pela sua própria tolice.


Quem é perfeito? O homem que teme a Deus e guarda os Seus mandamentos! Mesmo que ele faça isso imperfeitamente, o Senhor perdoa os seus pecados e o considera perfeito (Gn 6:9; Jó 1:1; Fp 3:15). Esse homem tem uma restrição de direcionamento em sua vida de pensamentos justos, que o guarda da autodestruição do Deus rejeitador de tolos à sua volta. Sua vida melhora cada vez mais a cada dia, muito parecido com o sol ascendente ou uma lua cheia (Pv 4:18).


De que forma o homem perfeito aprende a justiça? Ele começa com o temor do Senhor e a isto ele acrescenta a sábia instrução da Bíblia e dos piedosos conselheiros. O temor do Senhor é sabedoria e luz para a vida (Pv 1:7). A Bíblia é um manual para uma vida sábia e reta (Pv 22:17-21; Sl 19:7-11; 119:105). Conselheiros são pastores e amigos piedosos que também temem ao Senhor (Pv 27:9; Jr 3:15; ISm 23:16).


Os ímpios amam as idéias pecaminosas do mundo sobre como viver, que lhes foi repassado por outros tolos e pelo seu coração depravado (Pv 12:15; 14:12; 16:25; 21:2). Eles vagueiam na escuridão e caem em armadilhas (Pv 4:19; 13:15; 15:19; 22:5). Esta abordagem ignorante e rebelde à vida os leva a cair sob a justiça de Deus e as consequências do pecado. Considere a dependência de drogas, rebaixamento na carreira profissional, depressão, doenças, divórcio, embriaguez e morte - para começar, estes são apenas algumas considerações! Eles não aprendem de uma geração para outra, à medida que perpetuam e aumentam as suas tolices.


O homem justo casa com uma mulher virtuosa que teme ao Senhor, e ele vive uma vida marital tranquila. O homem ímpio casa com uma mulher desagradável ou adúltera, e ele vive uma vida marital infernal ou se divorcia com tormento e dificuldades perseguindo-o durante toda a sua vida. O homem perfeito está num bom caminho, e o homem mau cai pelas suas próprias iniquidades. Ele escolheu a sua mulher pelas aparências e sedução, e pagou um preço terrível no seu caminho para a sepultura.


Até onde leva a retidão do homem perfeito? Pelo caminho todo em direção ao céu! Nenhum homem entra no céu calçado com a sua própria justiça, mas todo homem reto sabe que o céu é o seu destino (Is 64:6; IITm 4:7-8; Tt 3:5; Hb 11:4). A porta estreita e o caminho apertado que promete uma vida agora e no além é a estrada da retidão, apesar de serem poucos os que a encontram, pois a maioria dos homens se movimenta juntos em direção à destruição (Mt 7:13-14).