AdSense

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Até no riso terá dor o coração, e o fim da alegria é tristeza. provérbios 14:13

Provérbios 14:13



Até no riso terá dor o coração, e o fim da alegria é tristeza.



O mundo está rindo muito a caminho do inferno! Piadas, artigos de fundo, comediantes, seriados cômicos (com risadas programadas), festas, embriaguez e produtos químicos que alteram o estado de humor estão todos aumentando! Buscam-se risadas para aliviar temporariamente o vazio interior. São usados para enganar aos outros para pensarem que está tudo bem. Mas a solidão depois dessas frivolidades é esmagadora.


A vida não é só divertimento! O morrer é uma possibilidade terrível! O inferno não é engraçado! Uma festa ou uma tolice embriagadora não consegue eliminar a dolorosa realidade do viver imperfeito, das expectativas não realizadas, a da certeza da morte, e da possibilidade da condenação eterna. Os homens não conseguem fazer o suficiente para esquecer a certeza de sua dor e dificuldade. Quando as risadas terminam, o coração sente só a sua pesada tristeza.

Que risadas têm tristezas por trás de si? Que divertimentos terminam com peso? Esta não pode ser a risada e o divertimento dos justos, pois a felicidade deles flui do coração que está cheio de contentamento, esperança, alegria e paz. O provérbio deve estar falando a respeito da risada dos ímpios, que é descrita nos provérbios que antecedem e seguem este de hoje (Pv 14:12,14).

Considere a vida dos tolos. Salomão analisou o melhor daquilo que a vida pode oferecer e resumiu tudo considerando tudo vaidade e aflição de espírito (Ec 1:14). A vida é curta demais; ela nunca realiza as expectativas; ela é cheia de dificuldades e tristezas; a alma não está contente com a magnitude de nada; e a morte é doce quando comparada com o julgamento a seguir (Ec 12:13-14).

Não é de se admirar que o mundo invente os parques de diversão. A reflexão envolve considerações e pensamentos. Divertir é substituir aquelas atividades sóbrias com frivolidades e bobagens. Por isso eles gastam fortunas para gastar em tolices de forma a encontrar realizações - mas vão dormir naquela noite sabendo que foi uma diversão ridícula e cara que não funcionou de jeito nenhum!

Não importa o que os incrédulos dizem, eles são muito infelizes. É fácil de notar. Aqueles que têm as melhores circunstâncias, que o mundo mais admira, são os mais miseráveis! Considere os chamados astros de Hollywood! Suas tristes vidas de divórcio, suicídio, embriaguez, drogas e outros sintomas de função defeituosa revelam a verdade. Eles estão vazios, miseráveis e à procura! A Bíblia os chama de "Ondas impetuosas do mar, que escumam as suas mesmas abominações, estrelas errantes, para os quais está eternamente reservada a negrura das trevas." (Jd 1:13).

O autor de "Graça Admirável" também escreveu, "Desvanecimento é o prazer da mundanalidade, de toda a sua glória e exibição exagerada; a alegria sólida e duradoura somente os filhos de Sião conhecem." Leitor, você conhece a verdade das palavras dele? Busque hoje o Deus do céu! Aqueles que provaram das duas formas de viver juram pela vida da justiça (Sl 73:25-26; Ec 12:13-14).