AdSense

quarta-feira, 5 de março de 2014

ENTREVISTA COM A ESCRITORA DEVI TITUS AUTORA DE A EXPERIÊNCIA DO LAR


Esta obra é um verdadeiro manual para o relacionamento familiar. A experiência do Lar, da escritora e conferencista norte-americana, Devi Titus, reúne conselhos práticos que podem ser facilmente aplicados ao dia a dia, receitas de culinária, dicas de decoração e organização da casa.

A obra traz ainda um currículo de atividades para quem desejar realizar encontros de mentoria, tendo como base o programa Mentoring Mansion (Mansão Mentorial) do qual Devi é fundadora. O programa é destinado a treinar mulheres na administração do lar, e a desenvolver habilidades de relacionamento. Nesta entrevista, Devi Titus fala da importância da família na formação do indivíduo e compartilha as suas motivações para falar sobre o relacionamento familiar.

O que levou a senhora a escrever sobre esse tema?

Devi Titus: O número de divórcios, que tem aumentado muito; e o desejo das mulheres de construírem um lar em que Jesus seja o centro da sua família. Há muitos anos ministro palestras para mulheres e nessas conferências percebo que este é um desejo comum tanto para as que são casadas como para as que vivenciaram o divórcio. Muitas, por terem passado por essa experiência, não sabiam como criar o seu próprio lar. Por outro lado, percebi a necessidade de as editoras evangélicas terem em seu catálogo um manual sobre o lar. Ressalto que este não é um livro que fala somente sobre casamento, sobre pais, sobre receitas ou que contém apenas estudo bíblico, porém, é uma obra que inclui todas essas coisas.

Então este é um livro para todas as pessoas que querem ter um lar onde reina o amor e a paz, que são vitais na vida do ser humano?

DT: Sim, porque Deus criou o coração humano com a necessidade de ter amor e paz. Se uma pessoa cresce em um lar onde não há amor e ela se sente rejeitada, cria-se uma agressividade em sua personalidade, ou ela simplesmente se retrai. Caos, contenda, confusão e amargura no seio da família tornam as pessoas vulneráveis aos vícios, que produzem uma sensação de paz apenas temporária. Casados ou não, toda pessoa, homem ou mulher quando chega à sua casa deseja desfrutar de um ambiente harmonioso no qual possa descansar e se relacionar bem com a sua família.

A senhora divide o livro em três partes: o lar como santuário, o lar como refúgio, e apresenta ainda um guia para que as leitoras aprendam a mentoriar. O objetivo é que as mulheres transmitam os princípios aprendidos com a obra?

DV: Sim. As folhas são marcadas por cores e cada uma corresponde a uma seção. Na primeira apresento os princípios bíblicos e ao final de cada capítulo há um estudo para que a leitora assimile as orientações com mais facilidade. Na segunda parte, há um guia sobre as personalidades. A próxima seção do livro é como tornar a sua casa um lugar de paz. As Escrituras dizem que Deus é um Deus de paz. Essa seção é bem prática. Ensino como a mulher deve cuidar do seu lar e apresento sugestões de organização. Expõe princípios que podem ser aplicados às mulheres casadas, mas também às solteiras, pois, toda mulher, independente se é casada ou não, precisa ter uma casa organizada.

Qual é o propósito do Guia de Personalidade?

DV: Chamamos esse guia de personalidade de habilidades vitais de relacionamento. Nele, falo sobre conflitos e resoluções, e dou dicas de como a leitora pode identificar a sua personalidade e a dos membros de sua família, pois mesmo que ela não seja casada, não tenha filhos, ela se relaciona com seus pais, irmãos. O guia de personalidade irá ajudá-la a entender e a se relacionar de uma maneira mais saudável com as pessoas que fazem parte de seu relacionamento de forma geral.

No livro a senhora menciona pesquisas que ressaltam a importância da família se reunir à mesa, um hábito que está se perdendo devido à correria do dia a dia. Fale um pouco sobre as conclusões desses estudos.

DV: As universidades mais importantes dos Estados Unidos querem saber o que influencia o desenvolvimento intelectual da criança. Os resultados dessas pesquisas revelaram que as crianças que são criadas em famílias que possuem o hábito de realizar refeições à mesa, pelo menos cinco vezes por semana, têm melhor desempenho escolar. Os pesquisadores não sabem por que, mas descobriram que esse comportamento é importante e produz ótimos resultados. Ao refletir sobre essa descoberta eu disse para mim mesma: “Deus, o Senhor sabe a resposta, e ela está na Palavra”. Hoje, os psicólogos e sociólogos reconhecem que é no lar, à mesa, que a redenção familiar acontece. É onde colocamo-nos frente a frente, conversamos e encorajamos uns aos outros. À mesa acontece um milagre profundo nos corações dos membros de nossa família.

Por que a senhora relaciona as dicas de organização ao lar como um lugar de refúgio?

DT: As Escrituras afirmam que Deus não é um Deus de desordem, mas de paz, portanto, a nossa casa precisa ser um lugar organizado. Esta é uma seção bem prática na qual apresento princípios que podem ser aplicados no cuidado e na organização do lar. Mas eu também falo para as jovens que ainda não são casadas que estes princípios também são para elas, pois elas aprenderão a honrar os homens. A mulher tem se tornado cada vez mais independente dos homens e, com isso, muitas deixam de honrá-los. Esse respeito é muito importante porque experimentamos a paz quando aprendemos a honrar os outros.

A senhora finaliza o livro apresentando a sua proposta para mentoriar vidas. Toda mulher pode ser uma mentora?

DT: Com certeza. O apóstolo Paulo em sua carta a Tito ensina que as mais velhas devem ensinar às mais novas, e o que devemos transferir para as nossas próximas gerações. Criei um currículo, dividido em sete assuntos, e nele ensino a leitora a promover encontros com outras mulheres em seu lar uma vez por semana. Nesses encontros elas desfrutarão de momentos em que elas poderão ensinar e trocar ideias sobre princípios essenciais de relacionamento. Para cada semana há um capítulo diferente. Esse é o programa mais completo para quem desenvolve um ministério com mulheres.