AdSense

domingo, 17 de julho de 2016

Limites, até onde posso ir?

“O Senhor Deus colocou o homem no Jardim do Éden para cuidar dele e cultivá-lo. E o Senhor Deus ordenou ao homem: Coma livremente de qualquer árvore do jardim, mas não coma da árvore do conhecimento do bem e do mal, porque no dia em que dela comer, certamente você morrerá” (Gênesis 2.15-17).


Vivemos num mundo em que o frenesi por liberdade leva o homem a ultrapassar os limites estabelecidos por Deus. Mas este não é um problema apenas dos tempos atuais. Desde o Jardim do Éden, obedecer às ordens de Deus sempre foi um problema para o ser humano. Embora o Senhor tenha concedido liberdade ao homem, também estabeleceu limites, ou seja, ele poderia comer o fruto de qualquer árvore do jardim, menos da árvore do conhecimento do bem e do mal. Mas o homem escolheu ultrapassar os limites de Deus e, ainda hoje, prefere fazer a sua própria vontade e, por natureza, pensa que pode fazer qualquer coisa. Como se fosse um deus, vai estabelecendo suas próprias leis, de acordo com seus desejos.

Deus tudo pode, mas existem coisas que Ele não permite, por causa da Sua palavra. Ele não pode abençoar uma pessoa em atos que não aprova. Ele não pode levar qualquer pessoa para o céu, se não for através de Jesus Cristo, porque Sua palavra afirma que só por Jesus alguém entra no céu. E Deus tem que velar por Sua palavra. Ele é soberano e o ser humano não pode fazer tudo pois há limites estabelecidos pelo Criador. Embora, como cristãos, sejamos vistos como se navegássemos na contramão do mundo, não devemos nunca ultrapassar qualquer limite imposto pelo Senhor.

A Bíblia nos mostra exemplos de homens que romperam os limites estabelecidos por Deus e pagaram caro por isso, entre os quais podemos citar o rei Saul. Ele não conhecia os limites e, como rei, não podia exercer o ofício de sacerdote. Por achar que estava acima de tudo, ele ultrapassou os limites de Deus. Saiu da proteção divina e foi rejeitado pelo Senhor. Saul quebrou tantos limites divinos que, por fim, consultou uma médium, e isto foi a razão do seu trágico fim de vida.

Até hoje, o homem paga um alto preço, por causa da desobediência de Adão e Eva. O resultado é a limitação dos seus dias na Terra, além de cansaço, dor, sofrimento, perseguição e o afastamento de Deus.

Assim como as cidades dos tempos bíblicos eram fortificadas por muros, para que estivessem protegidas contra o inimigo, Deus coloca limites em nossas vidas, para nossa proteção. Quando saímos fora do que Ele estabeleceu para nós, ficamos expostos a toda investida do Diabo e corremos perigo a todo instante. Precisamos, portanto, estabelecer limites em nossas vidas, para que muitos erros sejam evitados. Ademais, quem não sabe viver com limites, sempre encontrará adversários. Deus escreveu os Dez Mandamentos para que não vivêssemos numa terra sem lei. As regras existem para que sejamos felizes, dentro dos limites impostos pelo Criador.

Todo cristão precisa ter consciência de que os limites do Senhor não tiram o tempero e a alegria da vida, mas são como cercas construídas para nos proteger de perigos e tribulações, bem como preservar toda a criação. Todavia, o Senhor não estabeleceu nenhum limite para o amor, único elemento que nos permite ultrapassar qualquer fronteira.

Pr. Jorge Linhares

posted from Bloggeroid